Black Friday 2020: B3 sobe e ações de e-commerce se frustram.

Dia 27 de novembro foi marcado por recorde na bolsa com retorno de investidores internacionais e também por ações com desempenho ruim, como os títulos da Magalu.
Anúncios


Fonte: Google

O comercio este ano estava com boas expectativas nas vendas no dia do Black Friday, que aconteceu no dia 27 de novembro. Setores como e-commerce estavam cheios de esperanças principalmente devido ao fato de as compras pela internet terem aumentado durante a pandemia. Mas antes da tão esperada sexta-feira, o site Reclame Aqui, registrava queixas, em torno de 4.850 reclamações. Segundo informações da própria plataforma o número é 45% maior que o ano passado. Por outro lado, o mês de novembro fecha com recorde mensal de investidores estrangeiros na bolsa de valores brasileira B3.

Entenda por que novembro foi tão importante para B3.

Primeiramente precisamos explicar o motivo de falarmos de Black Friday e qual o envolvimento com a bolsa de valores. Os e-commerce, que são vendas online, tiveram destaque nas reclamações no evento deste ano. Foi o caso da Magazine Luiza (loja online).

Além disso teve um movimento diferente nas ações de muitas empresas. Ações de Varejo, que acumulou alta de 65% em 2019, caíram 3,75%. Os da Magalu, que estavam disparando e era de 103%, são muito valorizadas, mas tiveram perdas de 0,25%. E B2W, com alta anual de 22,29% divergiram, subiu 1,14%

As lojas físicas se deram melhor. Ações das lojas Renner, que não vinham bem este ano, avançaram 0,78%, outra foi a Guararapes, dona das lojas Riachuelo, subiu 2,04%.

Motivos das reclamações

As atitudes das empresas influenciam diretamente os títulos na bolsa de valores, as reclamações de propaganda enganosas subiram, somando 28,17%. Em seguida vieram as reclamações relacionadas as entregas das mercadorias.

Por que novembro foi bom para a B3?

O Ibovespa foi encerrado em queda de 1,52%, a 108,893 pontos. Teve também o melhor resultado dos últimos 4 anos, quando a bolsa subiu 16,97%. Porém, no ano a bolsa ainda tem queda, de 5,84%. Fatos como, questão fiscal do País, taxa Selic em seu menor patamar, aliás a menor já registrada, de 2% ao ano, crise política e claro a pandemia.

O cenário que o Brasil vive possui um risco elevado para os investidores estrangeiros; com isso saíram em busca de mercados melhores. Mas neste mês de novembro a entrada de investidores na bolsa brasileira foi muito grande, com recorde mensal. No entanto, não ameniza o recorde anual de saída dos investidores, registrado neste ano devido todos os fatores que mencionamos.

Mudanças no comportamento

Fonte: Google

Notícias como as publicadas dos resultados sobre a vacina tem contribuído para essa mudança, veja outras que também agradou o mercado de ações.

B3 sobe: Vacina COVID 19

A farmacêuticas Pfizer e Moderna querem autorização para uso da vacina contra o novo coronavírus, a começar pela Europa. Isso pode acontecer entre 29 de dezembro e 12 de janeiro de 2021. Em testes avançados na fase três, tudo irá depender dos dados referentes a eficácia e segurança da vacina.

Eleições EUA

Outro fator que também contribuiu foi fim das eleições nos Estados Unidos. Embora o atual presidente Trump insiste em dizer que perdeu as eleições por fraudes. Contudo, o fato de não ter provas, dá legitimidade a vitória do presidente eleito Joe Biden.

B3 sobe: Governo Brasileiro

O governo promete dar continuidade nas reformas e privatizações para cortar gastos. Esse foi o anúncio do Ministro da economia Paulo Guedes, onde afirma que logo após as eleições daria prioridade as reformas. Finalizadas as eleições municipais, Paulo Guedes afirma que as reformas estão próximas, já existe pauta mínima, com “baixo custo político e bastante retorno social.

Disse ainda que irá impedir o avanço dos gastos públicos, por exemplo o BNDES, que como dito por ele, dava crédito e depois o beneficiado (empresa) financiava uma campanha. Com isso o BNDES vai ser mais um banco de investimentos da União. Sobre a reforma tributária o ministro disse acreditar na aprovação, no entanto afirmou também que existe todo um cronograma.

Sem contar no Orçamento para o ano que vem, que ainda não foi definido e o ano está praticamente se encerrando. Caso ocorra a segunda onda de contaminação da doença, como estamos acompanhando o aumento dos casos, o governo será pressionado a estender o auxílio emergencial para o ano de 2021.

Por fim, tudo depende de nós. Enquanto a vacina não chegar e para diminuir o risco de contaminação, é preciso a colaboração de todos. Somente assim as coisas vão voltando ao normal, a economia irá crescer e o país desenvolver.

Gostou do artigo? Compartilha com seus amigos, em suas redes sociais e ainda com os seus familiares. Não esqueça de ler outros artigos sobre o assunto aqui no blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *