Caiu no cheque especial e ficou endividado? Calma, iremos te ajudar.

Se você caiu no cheque especial e não sabe como sair, respire fundo, se aclame e leia atentamente esse artigo. Encontre as melhores opções para sair dessa enrascada.
Publicidade
Fonte: Google

Atualmente no Brasil superamos o número de mais de 63 milhões de endividados, segundo dados do órgão de proteção ao crédito; o Serasa S.A., ainda, cerca de 30% desse número são brasileiros endividados por conta do cartão de crédito e ainda cerca de 15% são relacionados ao cheque especial.

Dessa forma, as linhas de créditos financeiros que deveriam ser uma vantagem para os consumidores brasileiros, para aqueles sem consciência financeira responsável, tornou-se um pesadelo. Desse modo, o cheque especial tem representado um grande perigo para a vida financeira dessas pessoas e isso não é nenhuma novidade.

Assim, este tipo de crédito pré-aprovado, sem garantia de retorno ou pagamento, apresenta taxas de juros altíssimas. Embora, a ideia de limite ofertado pelo banco parece ótima, a verdade é que este dinheiro – limite deveria ser usado em casos de extrema urgência.

Dessa forma, o nosso blog decidiu desvendar os mistérios e te ajudar a sair do cheque especial de uma vez por todas; quer descobrir quais os principais passos para isso?

Vamos juntos?

Publicidade

Entenda como funciona o cheque especial

A linha de crédito pré-aprovada está disponível na maioria das instituições bancária no país, em especiais clientes que possuem conta do correntista, para utilização desse, em caso de emergência, o cliente não precisará solicitar qualquer consulta prévia, apenas necessitará ir até um caixa eletrônico ou por meio do internet Banking acessar ao crédito.

Contudo, esse limite de crédito se confunde com o saldo em conta corrente, definido em acordo com a renda mensal comprovada ou a movimentação financeira em conta corrente, ou, ainda, por meio de seus investimentos na abertura da conta corrente.

Quais as desvantagens de utilizar o cheque especial?

Fonte: Google

JUROS!

Publicidade

Exatamente, atente a essa palavra JUROS. Os juros aplicados ao limite de crédito; ou seja, em cada novo resgate do valor, será considerado juros sobre juros e mais juros.

Isso ocorre porque o limite disponibilizado não possui vínculo de restituição para a empresa financiadora, bancos, já que a única garantia é a utilização da conta corrente pelo próprio consumidor.

Dessa forma, as instituições ganham sobre os juros aplicados ao montante no prazo máximo para sua restituição, que ocorre em mais ou menos 10 dias. Assim, seu percentual de juros é bastante elevado entorno de 8% ao mês.

Publicidade

Como evitar o endividamento ao utilizar o cheque especial?

Aqui é o ponto principal de nosso artigo, atente as dicas e não corra delas; cada passo significa sua saída do cheque especial, observe a seguir:

Solicite a reduza do limite do seu cheque especial

Isso mesmo, nada deixar na mão do banco o seu limite de cheque especial. Existe até um ditado popular que diz; “quem muito vê, muito gasta”.

Desse modo, converse com seu gerente e solicite a redução do cheque especial, o limite ideal é de no máximo 30% da sua renda mensal movimentada na conta corrente, contudo, se essa medida ainda não for efetiva, aconselhamos reduzir ainda mais esse percentual.

Publicidade

Nunca confunda: limite do cheque especial com o saldo da sua conta corrente

Parece uma bobagem, contudo, não é!

Muitos consumidores confundem; cheque especial com saldo em conta corrente, isso é um erro. Saber o quando se tem em conta corrente, sem o acréscimo de juros, é a maneira mais inteligente de não se endividar.

Ao confundir saldo e limite, você terá um débito com juros, diferente daquele saldo disponível por você sem qualquer taxa ou tarifa. Assim, desvincule essa ideal de limite ser igualmente comprada a saldo, isso não existe.

Publicidade

Assuma o controle sobre a sua vida financeira

Tarefa difícil, né? Nós sabemos, mas não se preocupe, aos poucos, com antigos hábitos; caderninho de gastos, por exemplo, você conseguirá constituir uma vida financeira saudável e sem qualquer limitação.

Por isso, se você criar o hábito de colocar tudo o seu consumo na ponta do lápis, com certeza, vai perceber o quanto desperdiça dinheiro. Assim, entenderá a sua realidade e passará a ter uma visão mais realista; faça uma comparação entre suas receitas e gastos, observe se você tem vivido dentro de sua realidade financeira.

Fale com seu gerente e solicite o parcelamento da dívida

Isso mesmo, não deixe suas dívidas ao vento, o cheque especial é extremante lucrativo para os bancos, quanto mais tempo ele passar em aberto, mais tempo os juros serão cobrados.

Publicidade

Para se ter uma ideia uma dívida no valor de R$500 poderá se tornar em pouco mais de um ano em cerca de R$3.000 reais, assim, busque o gerente de sua agência e renegocie sua dívida, PARCELE e cancele o cheque especial.

Se possível for utilize outros benefícios para quitá-la como o 13º salário ou suas férias, melhor ficar tranquilo que perder dinheiro por conta da cobrança de juros.

Gostou do artigo? Compartilha com seus amigos, parentes e em suas redes sociais. Por fim, corre lá e ajuste o seu limite do cheque especial.

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *