Crise financeira- 14 Dicas para aprender lidar com suas finanças!

Ouvir a palavra "crise" já causa espanto, contudo, temos a solução para superar as dificuldades apresentadas por ela. Quer saber como superar a crise financeira? Leia aqui e saiba agora..
Anúncios


Fonte: Google

Não só o Brasil, como também muitos outros países estão passando por uma violenta crise financeira, e diante desta, não é possível continuar a viver com os mesmos hábitos financeiros que tínhamos quando a economia estava sob controle. Sendo assim, ouso dizer, inclusive, que muitos de nós estão tendo que “sobreviver” em meio a este cenário econômico. Com isso, hoje darei algumas dicas sobre como sobrreviver em meio à instabilidade financeira.

Portanto, separei algumas dicas bem interessantes de administradores de renome que o ajudará a organizar melhor suas finanças e por conseguinte, sobreviver à crise financeira.

Confira a seguir as melhores dicas:

Anote os seus gastos:

  1. Apesar de que parece bobo, mas de fato dá resultado. Não é raro ouvimos pessoas dizerem: Meu dinheiro acabou, e não sei aonde o gastei. Para evitar que isto aconteça com você, crie uma planilha no computador ou até mesmo no celular, já existe aplicativos para isto, e comece a anotar tudo o que você compra e/ou paga no decorrer do dia. Sendo assim, ao final do mês, some este montante e descobrirá aonde foi parar o seu dinheiro. Além disso, através das anotações será possível identificar gastos desnecessários, que poderão muito bem ser cortados no próximo mês.Dessa forma, sobreviver em meio à crise financeira vai ser tonando cada vez mais uma realidade na suas finanças.

2. Aplique a lei do desapego: Nesse sentido, olhe ao seu redor e veja o quanto há de coisas inúteis em sua casa, apenas ocupando espaço e acumulando poeira, fruto de nossa impulsividade aliada ao consumismo e marketing massivo sobre nós. Por conseguinte separe, objetos, roupas e sapatos e coloque-os a venda. Para tanto, aproveite os grupos de desapego, existentes nas diferentes formas de mídias sociais e boas vendas.

3. Poupe sempre: Embora a situação esteja caótica e preocupante, separe parte de seus rendimentos e aplique na poupança, afinal, situações emergenciais irão aparecer e devemos estar preparados para as mesmas.

4. Mantenha suas contas sempre no azul: Em outras palavra, evite gastar mais do você ganha. Outrossim, evite fazer uso do cheque especial e limite do cartão de crédito, estas são formas de crédito que deverão ser utilizadas sempre em último caso. Não se deixe seduzir por eles e verá que em pouco tempo, o dinheiro começara a aparecer, visto que os juros são os grandes responsáveis pelo sinalzinho vermelho em nossa conta bancária.

5. Procure ganhar dinheiro extra com seus dons: Em princípio, faça uso de seus talentos e comece a lucras com eles. Seja com comida, artes, decoração, busque formas de ganhar um dinheirinho extra.

6. Seja cauteloso: Por mais que esteja em meio a instabilidade financeira, evite contrair empréstimos com prazos a perder de vista. Se precisar mesmo de financiar algo, procure, sempre que possível, parcelar em um número reduzido de parcelas.

7. Negocie suas dívidas: Diante do quadro econômico atual, no qual muitas pessoas não estão conseguindo honrar com seus compromissos, os credores tendem a oferecer novas condições de pagamento, portanto, aproveite a oportunidade e renegocie suas dívidas.

8. Dê um passo para trás: talvez, para conseguirmos sobreviver à crise, vamos ter que dar um passo para trás, para depois dar dois passos para frente. Sendo assim, que tal trocar seu carro, por um mais econômico? Que tal deixar de comer fora todo final de semana e passar a fazer a sua própria refeição? E quanto ao ar-condicionado, será que ele tem que ficar ligado o dia todo mesmo? Faça uma reflexão de seus pequenos “luxos” e diga adeus a eles por um tempo.

Abrir mão de fazer algo que gostamos, não sempre é fácil, mas é preferível agir desta forma e manter suas contas em dia, do que agir por impulso e depois não conseguir dormir devido às dívidas contraídas desnecessariamente.

Estou endividado e agora?

Se você se encontra dessa forma, é necessário compreender a situação para poder entender as dicas de como sobreviver a uma crise financeira. As queixas mais comuns de pessoas que estão endividadas são:

  • Não consigo obter um empréstimo a um preço razoável para um carro;
  • Não consigo comprar uma casa porque não consigo poupar a entrada;
  • Já não faço mais tantas horas extras, por isso já não consigo pagar as minhas contas;
  • Perdi o meu emprego, não posso pagar as minhas contas e posso perder a nossa casa.
  • Estou trabalhando em dois ou três empregos para conseguir arcar com minhas dívidas.
Fonte: Google

Confira as 5 dicas finais

Então, como você pode sobreviver a uma crise econômica? Aqui estão as minhas cinco melhores dicas para sobreviver:

1. Reduza a sua dívida

Isto é crítico. Se você tem dívida, você não está no controle: dívida significa que seus credores estão no controle. Sendo assim, você deve tomar medidas imediatas para reduzir sua dívida.

Da mesma forma, se você tem um grande pagamento de hipoteca, pagamento de carro ou pagamento de cartão de crédito a cada mês, e você perde seu emprego, você vai rapidamente ficar para trás, e corre o risco de perder sua casa e carro.

Portanto, se você não tiver dívidas e perder seu emprego, sua única preocupação será encontrar outro emprego. Você não terá que se preocupar em fazer pagamentos e perder sua casa e carro. Sem dívidas, você pode enfrentar esta crise financeira.

2. Aprenda a viver sem crédito

Apesar de parecer algo difícil, não é impossível.. Se você tem 40 anos de idade ou menos, você provavelmente usou cartões de crédito durante toda a sua vida adulta. Você provavelmente nunca pagou em dinheiro por um carro, e você pode apenas assumir que é normal ter apenas uma entrada de 5% em uma casa nova.

Desse modo, aqui está um desafio para você: converse com seus pais ou avós e pergunte a eles se, quando eram jovens, tinham um cartão de crédito. Contudo, é muito provável que vão te dizer que não, que pagaram em dinheiro por tudo, incluindo carros e casas. Isso significava que não compravam um carro novo de três em três anos, e viviam numa casa pequena, mas também não tinham qualquer pagamento de dívidas.

Outrossim, viver sem crédito significa fazer um orçamento e planejar o que se quer comprar, e depois poupar dinheiro para o fazer. Portanto, é uma mudança drástica para aqueles de nós que estão habituados a comprar agora e a pagar mais tarde, mas as poupanças nos pagamentos de juros valem a pena a longo prazo. Portanto, cada vez que você aplicar essas dicas se sustentar em uma crise financeira vai se tornando algo mais viável.

Fonte: Google

3. Simplifique a sua vida

Certamente que viver sem crédito significa simplificar a sua vida. Se em vez de um adiantamento de 5% sobre uma casa você agora vai precisar de 25%, você provavelmente vai comprar uma casa menor. São menos quartos para mobilar e menos coisas para comprar, o que torna a sua vida mais simples.

Dessa forma, analise cada centavo que você gasta todo mês, e pergunte a si mesmo: “Será que eu realmente preciso disso?”. Por exemplo:

“Preciso pagar por 500 canais a cabo que eu nunca assisto, ou será que o cabo básico serve?”

“Eu estaria melhor se vendesse minha casa e alugasse?”

Sua casa pode não ser tão agradável, mas você não se preocuparia com pagamentos de hipotecas, impostos de propriedade, reparos e manutenção, ou um mercado imobiliário em colapso.

“Eu preciso de um carro novo a cada três anos, ou um carro usado barato me levaria a trabalhar tão bem quanto eu?”

Alternativa: eu preciso mesmo de um carro? Quanto dinheiro eu poderia economizar tomando transporte público, caminhando, andando de bicicleta, alugando um carro ou pegando um táxi quando necessário?

Meu empregador me deixaria trabalhar em casa, todos os dias ou alguns dias por semana? Com uma conexão de internet de alta velocidade e um computador, você poderia ser tão produtivo em casa? Seu empregador economizaria dinheiro no aluguel, e você economizaria custos de transporte, então pode ser um “win-win” para todos.

“Precisamos comer fora quatro noites por semana, ou poderíamos economizar dinheiro e comer melhor preparando refeições em casa?”

“Preciso de ir ao café duas vezes por dia, ou posso fazer o meu próprio café?”

Sobretudo, não estou a sugerir que nos tornemos eremitas e desistamos dos nossos carros e casas. Nem sequer estou a dizer que o crédito é mau. O que estou dizendo é que se pudermos aprender a viver com menos, nossas vidas terão menos estresse, teremos menos dívidas para nos preocupar e a crise financeira que te assola estará mais longe dia após dia.

4. Comece a trabalhar no Plano B

É possível que o seu mundo ainda não tenha mudado, mas o mundo à sua volta mudou, e eventualmente o seu mundo também irá mudar.

Dessa forma, o que você vai fazer se você for reduzido no trabalho, ou se suas horas forem reduzidas? Você pode obter outro carro de locação quando o seu contrato de locação atual expira? O que você faria se você não pudesse vender sua casa para mais do que o montante devido sobre a hipoteca? E se a economia entrar em colapso?

Embora estas não sejam coisas agradáveis de se pensar, é importante começar a pensar nelas e começar a fazer um “Plano B”. Você precisa de um plano para o seguinte:

Em contrapartida, se você perdeu seu emprego, onde você trabalharia? Dessa maneira, tenha sempre um currículo atualizado pronto, e sempre mantenha seus ouvidos abertos para outras oportunidades.

Em seguida, considere começar um negócio em casa nas suas horas de folga. Por fim, se você tem um hobby que poderia se tornar um negócio, considere fazer disso uma segunda fonte de renda.

Posteriormente, considere obter um emprego a tempo parcial se as horas forem reduzidas no trabalho. Dessa maneira, se você perder seu trabalho preliminar, pelo menos você terá ainda alguma renda.

Fonte: Google

5. Reduza suas despesas

Antes de mais nada, todos os meses me encontro com dezenas de pessoas que passaram por uma perda de emprego, um casamento, ou até mesmo problemas médicos que as forçaram a cortar suas despesas de vida para sobreviver. Portanto, aqui está a minha última dica:

Não espere até que você tenha que fazê-lo: corte suas despesas agora. Sendo assim, Use o dinheiro extra para pagar dívidas, ou para acumular algumas economias.

Considere grandes mudanças no estilo de vida, como aproximar-se do trabalho para poder caminhar ou utilizar o transporte público.

A questão é esta: o mundo mudou, mas você ainda é o chefe da sua própria vida. Você pode definir seu próprio destino, então faça um plano para reduzir a dívida, use o mínimo de crédito possível e planeje o futuro.

Portanto, pode-se dizer que é possível sobreviver em meio à crise, basta sermos mais responsáveis e centrados e o resultado aparecerá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *