Desvalorização do real resulta em aumento da inflação.

As famílias brasileiras sofrem com aumento nos preços e principalmente dos alimentos e se vêm cada vez mais pobre.
Anúncios


Fonte: Google

A pandemia trouxe muitos problemas para o mundo, e um desses foi a valorização do dólar desde o início do ano. Dessa forma, os brasileiros estão com poder de compra ainda menor, devido à desvalorização do real.

A moeda teve uma desvalorização surreal, desde 31 de dezembro de 2019, perdeu quase 30% do valor perante a moeda americana.

Provavelmente você deve estar pensando, “mas o que eu tenho haver com isso”? É sobre este assunto que vamos falar e tudo irá ficar mais claro.

A moeda que mais desvalorizou

Não foi um “privilégio” apenas da moeda brasileira. Outros países, principalmente os emergentes, também viu o dinheiro valer menos, mas nenhum sofreu tanto impacto nessa crise, como o Real.

Então, isso acontece por que, ao sinal de qualquer risco no mundo, seja qual for, os grandes investidores tendem tirar dinheiro dos países emergentes, e transfere para países em que o mercado seja mais seguro.

O país tem muitas formas de captação do dólar, por exemplo as exportações. Mas o investimento estrangeiro é um dos mais importantes, são os chamados Portfólios.

Desse modo, no mercado financeiro, pode se dizer que é a carteira de investimentos, um conjunto de ativos que o investidor escolhe onde aplicar seu dinheiro.

Por fim, o que temos acompanhado e acontecido com Brasil é uma saída muito grande desses capitais investidos.

Desvalorização do real: Outros fatores

Mas, a desvalorização do real não se deu apenas pelo fator externo como a que falamos, retirada de capital por parte dos investidores.

  • Risco fiscal

Um país também possui orçamento,  existe metas e objetivos. Porém, certos eventos afetam esse orçamento. Este ano de 2020 em especial, devido a pandemia.

O país está pagando Auxilio emergencial, teve queda no PIB, isso tudo contribuiu para queda no orçamento do ano que vem.

Portanto, o Brasil está gastando mais do que arrecadando. Essa medida foi uma tentativa do governo em amenizar o impacto que a crise causou na economia.

  • Divisão no governo

A divisão e a burocracia entre congresso, STF e o presidente, dificulta o andamento do país. Logo, a falta de visão unitária atrasa processos e sua a imagem do Brasil.

  • Atraso na agenda do governo

Reformas tributarias e administrativas estão pendentes justamente devido a divisão que mencionamos. Assuntos importantes como a reforma tributária são de extrema urgência par o crescimento econômico do país.

  • Baixa perspectiva do crescimento da economia

Esse fator reduz as expectativas de retorno dos investidores que deixaram o país. Menores ainda são as chances de novos investimentos no Brasil.

Viagens para os Estados Unidos ficaram mais caras.

Provavelmente, você já ouviu alguém falar que não está compensando “trazer produtos de fora”, ou que viagens internacionais não estão compensando.

Isso por que a desvalorização do real aconteceu também devido à queda dos juros no Brasil, que atualmente é de 2%, a menor taxa da história.

A taxa Selic tem impacto sobre o câmbio, com juros mais baixos, a rentabilidade de ativos de renda fixa e dos títulos públicos também serão menores.

Em resumo, isso também explica a busca dos investidores por investimentos com rendimentos maiores.

Como a população é prejudicada

Muita gente deve estar pensando, “mas eu nem compro dólar”. É provável que na casa de muitos consumidores, tenham produtos que para confecção seja necessários insumos importados.

Com isso os preços de alguns itens sofrem influência pelas cotações internacionais e o consumidor acaba pagando mais caro.

Fonte: Google

Desvalorização do real: Preço do Arroz

Durante a pandemia, o povo brasileiro viu diversos produtos das compras mensais aumentarem de preço. Porém, o que mais chamou atenção foi o preço do arroz.

O Brasil é o maior produtor de arroz, fora da Asia. E essa produção vem reduzindo nos últimos anos, de acordo com dados da Conab.

Além disso, teve um aumento na demanda internacional, tem elevado os preços, então o produtor prefere exportar, do que vender no mercado interno e receber em reais.

Portanto, menos produto disponível no mercado interno, eleva os preços e o consumidor sente na hora de realizar suas compras. E não acontece somente com arroz , vale também para produção da soja e do milho.

Conclusão

Isso explica o aumento no preço de vários produtos, principalmente dos alimentos. E por este motivo as pessoas estão com poder de compra cada vez mais reduzido.

Outro detalhe importante que devemos saber, são alguns índices. O IGPM, aquele índice que reajusta os aluguéis, é também usado pelos produtores, e este acumula alta de 17% nos últimos meses.

Enquanto os outros dois muito importantes e que geralmente são usados para aumento dos salários, que são IPCA e INPC e estão com apenas 3%.

Gostou do artigo? Compartilha com seus amigos, em suas redes sociais e ainda com os seus familiares. Não esqueça de ler outros artigos sobre o assunto aqui no blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *