Dúvidas sobre abrir um negócio? Veja nossas dicas!

Antes de abrir um negócio é preciso analisar alguns pontos. Leia mais em nosso artigo e saiba mais.
Anúncios


Dúvidas sobre abrir um negócio
Fonte: Google

Com a pandemia do Covid-19, muitas pessoas perderam seus empregos e tiveram que se readaptar de alguma forma. Dessa forma, com a nova economia do Brasil a solução para muitas pessoas foi empreender, mas ainda existem dúvidas sobre abrir um negócio. De acordo com o Sebrae, em 2020 foram abertas 535.126 microempresas e 91.757 empresas de pequeno porte, totalizando 626.883 micro e pequenas empresas no país. De acordo com o governo federal, o saldo de 2020 foi de 2,3 milhões de empresas abertas.

A princípio, os setores das microempresas que abriram mais unidades no ano passado foram serviços administrativos (20.398), vestuário e acessórios (16.786), e alimentícios (13.124). Já as pequenas empresas que mais abriram foram serviços administrativos (3.108), edificação (2.617) e vestuários e acessórios (2.469).

O empreendedorismo nacional tem muita força, conforme o Sebrae e o destaque das empresas abertas foi para microempreendedores individuais (MEI). Assim, essa categoria representa mais de 50% das empresas ativas no Brasil.

De acordo com o Ministério da Economia, o registro de MEI em 2020 expandiu 8,4% em relação a 2019, totalizando 2,6 milhões abertas, o que elevou a categoria a 11,2 milhões de negócios ativos pelo Brasil. Dessa forma, representando 79,3% das empresas abertas em 2020, mesmo em meio a uma pandemia global e 56,7% das empresas em atividade no Brasil.

Nos próximos tópicos vamos sanar algumas dúvidas sobre abrir um negócio e empreender no Brasil, criando uma nova rota de negócio.

Diferenças entre as categorias

Sobretudo, os futuros empreendedores que sonham com a independência precisam, antes de qualquer coisa, compreender as diferenças entre as possíveis categorias do seu negócio, e definir qual o melhor registro para sua empresa. Geralmente, precisa-se respeitar o limite do faturamento bruto anual de cada empresa, é importante verificar os tetos de faturamento porque podem mudar a cada ano.

O microempreendedor individual (MEI) permite um faturamento bruto anual de até R$81 mil e é para quem pretende atuar solo, costumando ser a entrada para a atividade empresarial formal. Assim, como não existem sócios essa opção libera a contratação de um funcionário somente. O registro é gratuito e bem fácil de realizar, pela internet.

É possível se registrar, também, como microempresa (MEI), para quem tem o rendimento bruto anual até R$360 mil. Essa categoria é para quem deseja ter sócio e a contratação máxima, dependendo do segmento da empresa é de 9 a 19 funcionários. Desse modo, exige emissão de notas fiscais para todas as vendas realizada, seja para pessoa jurídica ou física. As MEIs se enquadram na Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, o que as protege e favorece em alguns aspectos.

Para os projetos que já surgem maiores, podem se registrar como uma empresa de pequeno porte (EPP), com rendimento anual de até R$4,8 milhões e o número de funcionários também aumenta. Além disso, se for comércio/serviço é permitido contratar de 10 a 49 funcionários e se for de indústria, é de 20 a 99 funcionários.

Esclarece algumas dúvidas sobre abrir um negócio

Diante do atual cenário do Brasil onde a nova economia é incerta, é preciso ter uma ampla visão de Pessoa Jurídica (PJ) antes de pedir demissão ou investir tudo o que tem. Antes de qualquer decisão é preciso pesquisar, aprender e planejar para não correr riscos que podem ser evitados. Começar um negócio pode ser muito burocrático por isso é preciso estudar e se perguntar muito algumas ideologias antes de iniciar um projeto.

A cada ano que passa mais e mais pessoas se aventuram no empreendimento e o Brasil alcança novos recordes. Nos últimos meses do ano de 2020, os empreendedores totalizavam 25 milhões, conforme Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do IBGE. Os prováveis empreendedores que não sabem por onde começar precisam esclarecer as principais dúvidas dessa classe.

Além das incertezas burocráticas, tem ainda as ideológicas. Partindo das burocráticas, os empreendedores têm dúvidas quanto ao tipo de categorias, que já explicamos, qual o melhor modelo de regime tributário, se o mais seguro seria abrir uma franquia ou um negócio próprio e o principal que querem saber é quando o lucro chega. Devem pensar ideologicamente, qual a motivação da empresa? Quais são seus valores? O que espera do futuro? E qual seu impacto no mundo?

Dúvidas sobre abrir um negócio e a escolha do regime tributário?

Dúvidas sobre abrir um negócio
Fonte: Google

Conhecemos quatro regimes tributários, o SIMEI, Simples Nacional, Lucro Real e o Lucro Presumido que vai indicar quais impostos cada empresa precisa pagar ao governo, essas cobranças variam de acordo com o porte de cada negócio. A primeira opção é exclusiva do MEI e isenta o empresário de vários impostos, restando ao contribuinte um valor fixo de R$55 até R$61 por mês, dependendo do segmento do MEI.

O Simples Nacional é um sistema unificado, onde o empresário paga em uma única guia, oito impostos, as vezes com isenções ou reduções. Essa opção permite sócios e tem poucas limitações de atividades. Para aderir ao Simples Nacional o limite de faturamento tem que ser de R$4,8 milhões anuais. As quotas vão depender de cada setor, de 6% a 22%.

As empresas com faturamento anual acima de R$78 milhões devem cumprir o regime de Lucro Real. Os impostos têm como base o lucro e não as vendas, para cálculo. Por esse motivo, as empresas que atuam com margens baixas, acumulam altos custos de produção e trabalham no vermelho costumam escolher esse regime de tributos.

O Lucro Presumido é a escolha daqueles que não se enquadram no Simples Nacional e tem faturamento de até R$78 milhões. Os impostos são mais facilmente calculados do que no regime anterior. Se aplica 12% das alíquotas sobre a receita bruta, para comércio, serviços e indústria ou 32% para um grupo de serviços específicos.

Conclusão

Para iniciar um empreendimento do zero durante uma pandemia é preciso ter certeza e planejamento. Essa é uma grande decisão e pode ser a porta para uma independência financeira, já que muitas empresas se aproveitaram das necessidades do coronavírus para começar a empreender e muitos negócios prosperaram, principalmente o serviço de delivery e o e-commerce, lojinhas virtuais.

 O principal questionamento é quanto tempo demora para uma empresa dar lucro; mas essa resposta depende de vários fatores, porém de fato, a empresa só lucrará quando estiver equilibrada entre despesas e receitas. Além disso, é preciso encontrar o ponto de equilíbrio entre as despesas fixas e a margem de contribuição, aí saberemos a quantidade necessária de vendas para igualar as despesas com os ganhos. Então, não comece uma empresa já pensando em lucrar de imediato, porque isso demanda tempo e paciência.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *