Às dívidas preocupam você? Chegou à hora de sair do vermelho.

Reta final para 2020, crise econômica e não enxergamos uma melhora sobre os pontos da economia. Então, que tal reavaliar às dívidas e sair do vermelho? Leia o artigo a seguir e se surpreenda.
Anúncios


Fonte: Google

Chegou à hora de avaliar as dívidas e sair do vermelho.

No Brasil são milhões de brasileiros endividados. Além disso, pouco mais da metade do país possuí dívidas no cartão de crédito.

E ainda, quase a metade dos brasileiros conservam um dívida no valor de 1 mil até 5 mil reais.

Sendo assim, em uma recente pesquisa realizada pela QuiteJá. Uma plataforma digital que efetua e oferta renegociação de dívidas.

Apontou que o brasileiro ainda não aprendeu a maneira correta de utilização do crédito facilitado.

Ou seja, os crédito pré-aprovados como é o caso do cartão de crédito são os principais vilões do endividamento do brasileiro. Por isso, a importância de redobrar a aplicação de medidas quanto a conscientização do crédito.

Dessa forma, nosso blog trouxe para você este artigo que visa te ajudar a enfrentar o endividamento e ainda a rever suas contas para sair do vermelho. Ainda, em especial aquelas do cartão de crédito.

Por isso, leia com atenção e até o final desse artigo para construir uma boa relação com suas finanças.

A QuitaJá

Uma empresa de tecnologia preocupada com o brasileiros. A QuiteJá nasceu da proposta de ajudar os brasileiros a enfrentarem as dívidas mais difíceis. Assim, nascida em 2016, a empresa firmou o compromisso de beneficiar milhões de brasileiros como intermediadora entre os endividados e as empresas credoras.

Por isso, a QuiteJá ocupa um dos espaço mais importantes na intermediação de dívidas. Além disso, a empresa desenvolve um parâmetro mais facilitado e sem burocracia. Tudo para a comodidade e segurança do cliente.

Sendo assim, por meio de inteligência artificial a empresa desenvolve a melhor estratégia para a negociação da dívida. Ofertando o melhor parcelamento e as várias formas de pagamento.

O relatório QuiteJá – Brasileiro no vermelho

O relatório emitido pela empresa, que possuí mais de 2 mil clientes, trouxe números alarmantes. Assim, segundo a empresa digital, os brasileiros em todas as faixas de idade, somam um dívida a partir de 1 mil reais e representam 47,7% dos consumidores avaliados.

Além disso, a empresa frisou que o mais endividados no país hoje ocupam a faixa etária de idade a partir dos 35 anos até os 44 anos. Ou seja, esse grupo alcança o percentual de cerca de 35% dos endividados no país.

Sendo assim, a empresa trouxe número de comparação ao salários. Assim, o espelho de endividados demonstra que cerca de 80% devem quase que o dobro do seu salário mensal.

Portanto, um brasileiro que recebe pouco mais de três mil reais mensais, hoje, por exemplo, possuí um dívida superior a cinco mil reais. Ou seja, quase 70% do valor da renda familiar é gasta em produtos e serviços adquiridos com o uso do cartão de crédito.

Reavaliando as dívidas

Fonte: Google

Como visto na pesquisa; “são milhões de brasileiros endividados”. Assim, é importante saber reavaliar as dívidas em aberto. Sobretudo, saber a função e a finalidade de cada uma delas.

Ou seja, é hora de retomar o velho hábito do caderno de anotações, aplicativo de finanças ou mesmo planilha de gastos. Dessa forma, a classificação de cada dívida trará a clareza do que e como anda gastando o seu dinheiro.

Além disso, o cartão de crédito é o seu grande amigo. Por isso, não o trate de forma diferente. Assim sendo, aproveite o crédito rotativo ou parcelado para adquirir os produto mais urgentes.

Por isso, não esqueça: antes de efetuar uma compra consulte o pré-visualização de sua fatura ou consumo do cartão. Várias empresa disponibilizam app que podem te ajudar nessa hora. Assim, na verificação do quanto já foi gasto, no subconsciente ascenderá um alerta para os gastos.

Como pagar as dívidas

O primeiro passo é utilizar os recursos extra; FGTS emergencial, PIS, Férias e Décimo salário. Assim, os valores poderão ser abatidos ou mesmo quitados. Vale recordar que as dívidas não devem passar para o ano seguinte.

Afinal de contas, no início do ano sempre aparecem mais dívidas; material escolar, IPTU, IPVA e outras anuais. Por isso, evite acumular dívidas de 2020 para o ano seguinte. Se possível efetue o pagamento total delas.

Por fim, reduza o uso do cartão de crédito nesse período de fechamento de ano. Porém, se for inevitável a sua utilização, abuse dos programas de crédito; por exemplo, cashback, milhas e pontuação de reversão em descontos.

Gostou do nosso artigo? Compartilha em suas redes sociais, com seus amigos e ainda com os seus familiares. Em seguida não deixa de conferir outros artigo sobre finanças e investimentos aqui no nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *