Órgãos de Proteção ao Crédito: Entenda sua importância !

Todos acreditam que os órgãos de proteção ao crédito servem apenas para complicar suas vidas, na verdade eles ajudam e muito a vida dos consumidores. Saiba mais aqui.
Anúncios


Fonte: Google

Antes de mais nada, hoje iremos falar sobre os Órgãos de Proteção ao crédito. Fique com a gente e saiba mais sobre esse asunto!

Em primeiro lugar, o mundo sofre com a crise econômica assola vários países. Inclusive o Brasil, por causa da Covid-19, em consequência à crise a saúde financeira dos brasileiros tem dado sinal de precariedade.

Desse modo, o que reflete no aumento dos números de inadimplentes considerável nos últimos meses.

O Brasil diante da crise superou sua marca de inadimplentes com o número de mais de 62 milhões de brasileiros. Um aumento expressivo em pouco mais de 4 meses, quando a marca era de 60 milhões, uma margem sem alteração a quase um ano.

O endividamento financeiro de cada brasileiro não afeta exclusivamente ao indivíduo, mas a todo um país. Por isso, as instituições financeiras – Bancos e Financeiras, e comerciais – Lojistas, varejistas e atacadistas, tem uma certa devoção pelos órgãos de proteção ao crédito; SPC, Serasa, Boa Vista, entre outros.

Quer entender melhor sobre esse tema? Então, atente bem ao artigo, leia até o final e saiba o porquê dessa veneração. Vamos lá?!

Sobre o CPF incluso nos órgãos de proteção ao crédito

Se você possui ou conhece alguém que possua o nome ou CPF incluso no sistema no banco de dados de um dos órgãos de proteção ao crédito, deve saber ou imaginar o quão desconfortável e delicado é essa situação.

Quando um consumidor se encontra incluso em desses órgãos como inadimplente a sua situação diante das instituições financeiras e comerciais é de extrema delicadeza. Isso ocorre porque o ele apresenta alto índice de risco a instituição.

Dessa forma, fica impossibilitado de contrair crédito ou qualquer outra modalidade de crédito ofertado por essas instituições; o negativado, não terá acesso a empréstimo, financiamento, cartão de crédito, consórcio, entre outras linhas de crédito pré-aprovada.

Quem são esses órgãos de proteção ao crédito?

Os órgãos de proteção ao crédito foram criados com a intenção de se tornarem reguladores na concessão de crédito dos consumidores. Dessa forma, com o grande avanço da inadimplência no mercado financeiro, ainda na década de 80, algumas organizações de instituições financeiras e comercias – a exemplo da CDL, criaram esses órgãos para se protegerem e estagnar esse crescimento.

Qual a finalidade dos órgãos de proteção ao crédito?

Como adiantado acima; são basicamente reguladores na concessão de crédito.

Órgão de proteção ao crédito no país tem por obrigação a manutenção e movimentação da vida financeira dos consumidores; a inclusão em seus bancos de dados é involuntária e alheia ao consumidor desde que sua situação seja negativa ou com histórico de dívidas vencidas, atrasadas ou não pagas.

Quem inclui meu CPF nesses órgãos de proteção ao crédito?

Geralmente a inserção do número de CPF do consumidor é feita por uma das instituições financeiras ou comerciais com a qual você contraiu crédito e não pagou sua contraprestação no acordo.

Ou seja, a loja do carnê não pago, a financeira do cartão de crédito, o banco do financiamento, entre outras.

Como é feita a avaliação do consumidor?

As entidades criaram um tipo de pontuação chamada score. Bem como, o score é uma avaliação por pontos determinada pela situação cadastral do consumidor – em seus bancos de dados. Que ressalta a sua vida e educação financeira.

Baseada no seu cotidiano, como o pagamento mensal de faturas de cartão de crédito, água, luz, telefone, empréstimos e outros serviços efetuados com habitualidade ou não – compras em mercado não conta a não ser as feitas com a utilização de uma linha de crédito regular.

Qual a importância desses órgãos para as instituições financeiras e comerciais?

Como os órgãos são reguladores de crédito de cada indivíduo, constantemente seus bancos de dados são acessados por essas instituições para obter informações sobre a avaliação de risco que o consumidor representa a ela.

Por exemplo, quando você pensa em contrair um cartão de crédito, antes de aprovar a sua solicitação – o banco ou financeira, irá efetuar a tão famosa análise de crédito por meio do sistema de dados de um desses órgãos – SPC, Serasa, Boa Vista, entre outros, sendo negativado ou com o score baixo a empresa irá recusar sua proposta.

Com isso a instituição financeira ou comercial evita prejuízos e danos ao seu patrimônio.

O que fazer se meu nome constar como negativado em um desses órgãos de proteção ao crédito?

Fonte: Google

O primeiro passo é organizar sua vida financeira, acessar ao site de umas empresas e confirmar sua inscrição com negativado.

Feito isso, observe o valor da dívida. Logo depois organize-se e consiga até 30% do valor, ou menos, para renegociar junto a instituição sem o acréscimo de juros ou mora. Geralmente os bancos e financeiras querem receber, ainda que sem o acréscimo dos juros abusivos.

Contudo, ainda existem órgãos, a exemplo do Serasa. Que oferece intermediação do processo de negociação com desconto de até 90% do valor em suas plataformas como o Serasa Limpa Nome, o processo e totalmente online.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos em suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *