Pix cobrança só irá funcionar no mês de março.

O Banco Central anunciou que pra realizar pagamentos futuros utilizando Pix, o moderno meio de pagamento brasileiro, só deve ser liberado no mês de março.
Anúncios


Fonte: PIX

Muito se especulou sobre o fim do boleto bancário após o Pix começar funcionar em novembro de 2020. No entanto, o Banco Central anunciou que o novo sistema iria fazer adaptações. Os boletos poderiam conter além do código de barras, o QR Code. Além disso fazer configurações para constar dados como a cobrança de juros e multas, e também descontos.

Conhecido com Pix cobrança, a ferramenta irá permitir que qualquer usuário efetue pagamentos via QR Code de forma imediata, bem como nas cobranças futuras, ou seja, o documento irá constar data de vencimento posterior conforme combinado com o emissor.

Portanto, essa modalidade permitirá que empreendedores, lojistas, prestadores de serviços e fornecedores utilizem o Pix tanto nas lojas físicas, quando nas vendas pela internet.

Desde que passou a operar, o Pix movimenta bilhões de reais. Com milhares de transações realizadas em todo país, e de acordo com informações do Banco Central; cerca de 84% das transferências foram feitas de uma pessoa física para outra. Numa modalidade conhecida como P2P. Logo, se tratando de volume financeiro, o P2P corresponde a 44% do total já movimentado.

Em seguida aparecem as transações entre as empresas, com nome de B2B, e representa 39% do volume financeiro. Quando o Pix cobrança estiver funcionado, empresas devem utilizar ainda mais o novo meio de pagamento pois, sabemos que realizar cobranças via boleto bancário ainda é uma prática comum nas instituições brasileiras.

Tudo sobre o Pix Cobrança e vencimentos posteriores

A princípio essa modalidade deveria começar a funcionar a partir do dia 04 de janeiro de 2021. Mas o BC anunciou a prorrogação, e só deve começar a funcionar em meados de março. No entanto não entrou em detalhes do motivo de se ter adiado. É provável que isso se deve as complexidades que envolve essas alterações e ajustes irão se fazer.

Como mencionamos, boletos bancários é um meio de pagamento bastante utilizados no país. E com o Pix Cobrança todas as empresas emissoras irão conseguir emitir um QR Code para pagamentos com datas posteriores, e vai funcionar da mesma maneira que o boleto, com dados do emissor, e pagador.

Além disso, as tradicionais informações de multas, juros e possíveis descontos.  Sem dúvidas essa modalidade irá facilitar bastante a vida dos consumidores brasileiros, e mesmo as pessoas que não são adeptas a tecnologia.

Assim, com tempo vai perceber a necessidade de acompanhar os avanços tecnológicos para desburocratizar transações simples. Que através do Pix podem se realizar em instantes, em qualquer dia da semana e horário.

Cobranças PIX: Sistema API

Fonte: PIX

Uma das maiores dúvidas é em relação ao processo de gestão das cobranças, logo, as instituições financeiras que aderirem a essa modalidade terá acesso ao API Pix que o Banco Central disponibiliza, dessa forma acesso a várias funcionalidades que será possível verificar a liquidação das cobranças, e realizar a conciliação bancária, como é feito com os boletos tradicionais.

O sistema API de recebimento, vai permitir a as integrações citadas bem como todo processo que autoriza o Pix receber os pagamentos através do QR Code.

Sendo assim, este moderno meio de pagamento permite transações com total segurança, facilidade e rapidez. Prova disso é aceitação e utilização por parte de muitos brasileiros, que adoram uma novidade.

Esse processo será importante também para as empresas que desejarem por exemplo migrar de um banco para outro.

A API permite essa transação sem que a “pessoa” fique presa ao sistema da instituição financeira, nem ao processo que se usa.

Como tem acontecido com as transferências, que antes tinha dia e horário para acontecer. Além das taxas cobradas, agora com Pix os usuários têm mais liberdade.

Cobrança de Taxa

Era bom demais para ser verdade, um meio de realizar pagamentos sem a cobrança de taxas. Logo o Banco Central permitiu que as instituições financeiras realizem a cobrança se o usuário fizer mais de 30 Pix por mês; e o valor será definido por cada banco, Fintech ou outros.

Por isso a orientação é ficar atento aos valores, principalmente na corrida por cadastramento das chaves do Pix.

Por falar em “Chave Pix”, será permitido que usuários cadastrem até 5 diferentes chaves, que irá funcionar como a identificação individual.

Podendo ser:

  • Número de CPF,
  • Endereço de e-mail,
  • Número de telefone
  • Outras duas que são chaves “aleatórias”, ou seja, um código que o banco irá gerar.

Sendo assim todas as vezes que for realizar alguma transação, basta informar algum desses dados.

Contudo, se algum usuário tiver a necessidade de mudar a chave cadastrada com e-mail ou número de telefone, poderá ser feito normalmente. Através do aplicativo ou internet banking da instituição que esses dados foram cadastrados.

Para isso basta acessar a opção minhas chaves e excluir a chave anterior. Em seguida novos dados devem ser informados, outro e-mail ou número de telefone.

Gostou do nosso artigo? Então, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, com os seus amigos e ainda com os seus familiares. Em seguida, aproveite outros conteúdos para entender melhor sobre finanças, investimentos e conhecer serviços como, por exemplo; cartões de crédito, conta digital e empréstimo, tudo aqui em nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *