Pix é uma ameaça ao envio de pagamento no WhatsApp!

Hoje é fácil constatar o quanto a tecnologia influencia o universo financeiro, não se trata das fintechs ou bitcoins, e sim dos meios de pagamento digitais.
Anúncios


Fonte: Whatsapp

Com as inovações e facilidades criadas pelo mundo tech, o setor financeiro começará a utilizar meios de pagamentos mais simplificados e jamais pensados; ao ponto de dispensar o cartão de crédito ou débito, tudo a partir de uma única mensagem. Isso é o pagamento pelo WhatsApp, que iremos falar em seguida.

Dessa forma, Essa revolução aconteceu por um dos aplicativos mais queridos do mundo; o WhatsApp! O app decidiu implementar em sua plataforma o pagamento por mensagens.

Mas o que parecia algo tão inovador o Banco Central não gsotou muito da ideia. Desse modo, que solicitou a suspensão da atividade sob pena de sansão para as financeiras parceiras do WhatsApp.

Quer entender melhor como isso tudo começou e como deve acabar?

Vamos lá!

Sobre o WhatsApp e seu pagamento por mensagem

A empresa Facebook, dona do WhatsApp, resolveu incluir em seus serviços digitais a funcionalidade pagamento por mensagem – por meio do WhatsApp. Dessa forma, a inovação financeira teria como palco principal e de testes o Brasil, o único país no mundo a receber a função.

Então, em junho de 2020, o WhatsApp distribuiu a nova funcionalidade entre os testadores beta de seu aplicativo e em poucos dias já havia liberado para todos os usuários comuns. Desse modo, a função de pagamento era feita por meio do Facebook Pay a ferramenta de pagamentos do Facebook. Após o cadastro dos dados do cartão de crédito ou débito na ferramenta o usuário poderia fazer os pagamentos apenas enviando o valor.

Dessa forma, as empresas parceiras do WhatsApp na implementação da novidade foram o Banco do Brasil, Nubank, Cielo, Visa e Mastercard, juntos seriam responsáveis pela novidade tecnológica.

O BC – Banco Central e o PIX

O Banco Central anunciou a pouco tempo atrás que decidiu investir em uma plataforma instantânea de pagamentos em todo país. Com isso, espera facilitar a vida dos brasileiros por meio de pagamento digital e operações bancárias em segundos. A intenção do Banco Central era unificar as formas de pagamentos, de maneira rápida e gratuita. Bem como sem cobranças pelos serviços como ocorre hoje, a exemplo do TED, DOC e das transações eletrônicas.

Imagine o seguinte: Você saiu para um lanche e não levou dinheiro, portando apenas o cartão de crédito com anuidade zero ou seu cartão de débito. Mas seus amigos o convidam para estender a saída até um outro local. Opa! No novo local só aceita dinheiro e não tem nenhum caixa eletrônico para sacar… e agora? Viu como seria horrível?! Com o PIX, segundo o BC, você poderá sacar dinheiro em qualquer estabelecimento comercial que aceite cartão de crédito (quando disponível a função saque) ou débito sem precisar ir até um caixa eletrônico.

Qual a interferência do PIX no pagamento digital do WhatsApp?

Fonte: Google

Para você entender melhor, no mercado financeiro existe uma grande concorrência por clientes e fama. Quanto mais dinheiro em circulação mais se fatura, contudo se alguém inova na maneira de fazer transações financeiras em grande escala; a fama é melhor que o dinheiro girando.

Assim, em 15 de junho o WhatsApp anunciou e fez a liberação da ferramenta de pagamento digital via mensagem, contudo em 23 de junho, o Banco Central suspendeu o serviço do mensageiro alegando preservar um adequado ambiente competitivo. Notificou as parceiras do WhatsApp – Visa, Mastercard, Cielo e Nubank, ameaçando aplicar sansões se não fosse atendido.

A mudança repentina na política de pagamento pelo próprio Banco Central, causou estranheza e gerou especulações no mercado financeiro, alguns disseram que o BC atendeu à pressão dos bancos privados. Já outros afirmam que o fato foi uma tentativa de proteger o seu projeto PIX, que teria sua data de lançamento marcada para novembro de 2020, isso antes do anúncio do WhatsApp sobre sua plataforma.

Na verdade, isso pode até parecer especulação, já que o BC não assumiu que foi essa a finalidade no bloqueio da função de pagamento digital do WhatsApp, contudo a maioria dos especialistas no assunto afirmam que é.

A antecipação do lançamento do PIX

Apesar da negativa do Banco Central, após o bloqueio da funcionalidade do WhatsApp, a instituição financeira antecipou o lançamento de sua plataforma de pagamentos instantâneos para setembro de 2020. Assim, em comunicado informou que todas as instituições financeiras, inclusive as Fintechs com mais de 500 mil contas ativas, deveriam se estruturarem para receberem o PIX. O que acabou gerando um desconforto com alguns bancos digitais com o encurtamento do prazo.

Por fim, em comunicado as parceiras do WhatsApp o BC disse em nota que estava acompanhando a iniciativa do WhatsApp e avaliava o grande potencial da integração com o PIX, contudo acha prematura qualquer iniciativa que possa desfragmentar o mercado financeiro. Mesmo negando a relação do PIX com o bloqueio do serviço.

Bom, para nós usuários só tem uma solução a ser feita: aguardar o lançamento dessa nova função de pagamento!

Gostou do artigo? Compartilhe nosso conteúdo com seus amigos em suas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *