Planejamento familiar. Determine as prioridades financeiras!

Sua vida financeira está como uma gaveta desorganizada e não sabe por onde começar a organização? Neste artigo vamos falar do assunto e mostrar o que exige mais atenção.
Publicidade
Fonte: Google

Para colocar em prática as prioridades da vida, exige primeiro conhecimento dos objetivos, e com as suas finanças não são diferentes. Afinal, o dinheiro proporciona a realização de muitos sonhos. Dessa forma é preciso um Planejamento familiar

São vários os objetivos das pessoas. É natural pensar no conforto da família, este é o pensamento da grande maioria.

Mas para alcançar qualquer que seja o objetivo, uma pessoa precisa de organização financeira e este processo pode não ser tão simples.

Planejamento familiar: O que é prioridade?

Prioridade é tudo aquilo que vem primeiro. Por isso é imprescindível fazer uma análise e levantamento dos gastos, para identificar quais os itens realmente necessários. Antes de mais nada, reúna a família pois este assunto diz respeito a todos dentro de uma casa.

É claro que as prioridades variam da necessidade de cada pessoa ou família. Porém estabelecer esses parâmetros atendem qualquer que seja a situação.

Planejamento familiar: Diferença entre importante e urgente

  • Existem coisas em nossas vidas que são urgentes e outras importantes. Vamos aprender a diferença?
  • Importante – É algo essencial, fundamental e necessário para as pessoas. Geralmente são coisas que damos muito valor. Pode se dizer que é aquilo que traz um bem-estar.

Exemplos:

É importante ter uma boa saúde.

Publicidade

 Fazer uma faculdade é muito importante.

  • Urgente – Podemos dizer que é algo indispensável ou que não se pode adiar.

Exemplos:

Preciso pagar este boleto urgente, ou irão negativar meu nome.

A chave do carro quebrou, preciso encontrar um chaveiro urgente.

Planejamento familiar: O que deve vir primeiro no seu orçamento?

  • Fique livre de dívidas

Nada que a pessoa tenha em mente, se tratando de planejamento futuro, vai dar certo enquanto tiver dívidas. Portanto, se for um bom momento, faça um levantamento e veja se é possível negociar, entre em contato com os credores e feche um acordo.

Publicidade
Publicidade

Se tiver oportunidade, efetue esse pagamento a vista, pois são oferecidos ótimos descontos.

  • Não faça mais dívidas

Um passo importante foi dado, a renegociação. Contudo, ainda não é o momento de realizar certas compras o que pode resultar em novas dívidas e virar uma verdadeira bola de neve.

Deixe o cartão de crédito guardado, evite acessar sites de promoções, ou seja, fuja das tentações!

  • Preocupe-se com o futuro

Inúmeras pessoas fazem planos para o futuro, isso é bastante comum, mas se perdem no meio do caminho. Antes de mais nada é preciso abandonar velhos hábitos, caso contrário o seu objetivo nunca será alcançado. Principalmente se tratando da compra de um bem de valor maior, mas sem esforço é impossível.

Publicidade
  • Tenha um fundo de reserva

Geralmente pessoas com mais estabilidade financeira conseguem ter uma reserva de emergência. Mas se todos dessem a devida importância seria considerado um dos primeiros itens em qualquer orçamento familiar.

Essa reserva de emergência é aquele dinheiro que poderá ser usado em ocasiões inesperadas, que não conseguimos prever. Caso esse dinheiro esteja aplicado, que seja em aplicações que possam ser resgatadas facilmente.

  • Estude finanças

Já reparou como uma gestação é demorada? São nove meses até um feto ser gerado. A princípio pode parecer uma comparação sem lógica, mas um planejamento financeiro também exige tempo e dedicação para o aperfeiçoamento. Educação financeira é importante pois abre a mente das pessoas que aprendem a lidar melhor com dinheiro, realizar compras com responsabilidades e pode proporcionar uma vida mais fácil e sem sufoco.

Publicidade
  • Pratique as regras 50/30/20

Essa regra que alguns não conhecem tem a vantagem que nos direcionam na hora da distribuição do orçamento. O que isso quer dizer?

De forma bem simples, funciona da seguinte maneira:

Fonte: Google
  1.   50 % reserve para os gastos fixos e essenciais, ou seja, as contas de água, luz, internet, combustível, moradia, alimentação e outros.
  2.   30 % são para os gastos variáveis, viagens, restaurantes, tv a cabo e até um plano melhor de celular.
  3. Os 20 % restantes são destinados a metas financeiras, são as economias da família e quem sabe até um investimento.

Dica especial

Publicidade

O desemprego atinge 13,1 milhões de pessoas, dentre esses números estão vários chefes de família. Portanto, algumas mudanças precisam acontecer. Como por exemplo:

  • Não gaste todo dinheiro que recebeu;
  • Quite dívidas acumuladas, como contas de água e energia;
  • Pague as faturas do cartão de crédito e evite usá-lo;
  • Diminua o valor das contas que são necessárias;
  • Corte pelo menos por enquanto os gastos com: TV a cabo, faxineiras, refeições fora de casa, Uber e outros que julgar menos importante;
  • Tente realizar outra atividade enquanto não volta para o mercado de trabalho;
  • Não deixe o seguro desemprego acabar para procurar um novo emprego.

Dar prioridades nas finanças já é bastante complicado, estando desempregado as coisas se tornam ainda mais difíceis.

Publicidade

Percebe como é importante priorizar cada item em nossa vida financeira? assim como em outras áreas de nossas vidas. Mas acima de tudo, devemos ter foco e fazer com calma um bom planejamento.

Agora que entendemos a necessidade de estabelecer prioridades, ficou mais fácil planejar e se organizar financeiramente.

Gostou do nosso artigo? Compartilha com seus amigos, em suas redes sociais e ainda com os seus familiares. Mas não esqueça de conferir outros artigos aqui em nosso blog sobre finanças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *