Retomada das viagens domésticas: variante delta é um risco?

O setor mais afetado com a pandemia, enxerga na retomada das viagens domésticas uma solução, porém, o momento pede cautela. Fique por dentro!
Anúncios


Retomada das viagens domésticas
Fonte: Google

A retomada das viagens domésticas é uma realidade em 2021, embora a pandemia do novo coronavírus tenha deixado suas cicatrizes no mercado de turismo: todas as atividades do setor somaram muitos prejuízos em meio a pandemia aqui no Brasil, os prejuízos chegam a ser de R$ 395 bilhões desde o mês de março de 2020.

Já o volume de receitas em relação as atividades do setor se encontram em 22,8% bem abaixo do registrado no mês de fevereiro de 2020, segundo os dados informados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, serviços e Turismo-CNC.  Portanto, diante do cenário que acabamos de analisar e somando os avanços com a preocupação da variante Delta em terras brasileiras, a CNC conjectura que o mercado do turismo só deverá se recuperar totalmente e isto inclui a geração de receitas mensais que tinha na época da pré-pandemia apenas no fim de 2022. 

Ainda segundo a CNC, mesmo com a retomada das viagens domésticas as baixas registradas no setor estão relacionadas também com a crise do mercado de trabalho. Em praticamente 12 meses, o setor teve retração no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados-Caged, algo em torno de –1,1%, ou saldo negativo de aproximadamente –30,9 mil funções. 

A boa notícia, é que com a retomada das viagens domésticas as perdas no mercado diminuíram pelo terceiro mês seguido e a CNC projeta o avanço de 18,2% no volume de receitas do segmento para este ano, revisando para cima o percentual anterior era de 17,8 pontos percentuais, graças ao sucesso da vacinação e ao fim das medidas restritivas que contribuem para o sucesso da retomada de viagens no segmento.  

Preços altos  

O clima é de otimismo em relação a retomada das viagens, mas, um outro ponto destacado por alguns analistas é o potencial aumento dos valores em vários segmentos do turismo tendo em vista à alta temporada, com o início do verão no segundo semestre, e também em razão da recuperação dos muitos prejuízos para as companhias do mercado.  

Os valores devem subir para os mesmos valores de antes da pandemia chegar por aqui, o segmento não tem como manter os preços atuais, porque as companhias precisam se recuperar e sobreviver, diz Alexandre Sampaio, presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação-FBHA e também diretor da CNC. 

Neste segundo trimestre, a companhia aérea azul anunciou que os valores das passagens deverão subir cerca de 8,9 pontos percentuais na base anual. Alguns analistas apontaram que a outra companhia aérea importante no país, a Gol também anunciará o aumento das passagens, especialmente para viajantes a lazer, está foi uma alternativa que ambas as empresas do setor encontraram para poder compensar os prejuízos. 

Cenário atual 

Para o vice-presidente de marketing e eventos da Associação Brasileira de Agências de Viagens-Abav, pontuou que existe uma busca pequena no segmento, boa parte dos brasileiros estão querendo viajar, especialmente depois de ter ficado um ano em casa devido a pandemia do novo coronavírus, e com os avanços da vacinação no país. Por isso, o cenário atual é de otimismo.  

As vendas registradas pela Abav entre os meses de maio de junho de 2021 foram de 70%, maior do que as vendas registradas no período pré-pandemia, segundo os dados da associação. Entretanto, mesmo como cenário de otimismo, ainda existem muitos desafios e instabilidade na demanda pelo temor, que muitas pessoas ainda têm devido a variante Delta.  

Os brasileiros aprenderam a viajar com segurança, fazendo uso das máscaras e os cuidados com o distanciamento e higiene das mãos, pois, viajar de avião oferece os mesmos riscos que as demais atividades comuns no dia a dia. Alguns especialistas acreditam que até o final do ano quando praticamente todos os brasileiros estiverem vacinados, as viagens para dentro do país e para fora do país devem aumentar.  

Variante Delta e a retomada das viagens domésticas 

Retomada das viagens domésticas
Fonte: Google

Diante deste cenário de otimismo no segmento, as maiores preocupações relacionadas a retomada das viagens domésticas é o avanço da pandemia, em especial a variante Delta. O principal receio dos empresários do segmento é o avanço da variante que pode de fato impedir a recuperação do mercado. 

O risco da pandemia é constante e deverá permanecer assim, pelo menos por algum tempo. Contudo, o setor aprendeu que é possível sim oferecer os seus serviços mesmo diante de um cenário de crise, sendo fundamental seguir os protocolos de segurança, claro!  

Bem, a situação atual pode ser de otimismo, porém, devemos ser cautelosos, é preciso esperar para saber qual rumo a vacinação no país irá tomar e também como a variante Delta deverá se desenvolver, não tem como desvincular o desenvolvimento da pandemia a retomada das viagens.  

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.