Unicórnios Startups, América Latina entra no jogo de sucesso.

Países da América Latina podem presenciar aumento de novas startups “unicórnios” com boa liquidez
Anúncios


Unicórnios startups
Fonte: Google

Empresas privadas de tecnologia que são avaliadas em US$ 1 bilhão, ou mais, antes de abrir capital da bolsa, são conhecidas como Startups Unicórnios. Isso significa que esse tipo de empresa ainda não realizou o chamado IPO (em português: Oferta Pública inicial); e uma empresa abre capital, disponibilizando ações no mercado de forma pública, com a intenção de captar recursos que quase sempre são usados para investir no negócio.

Dentre as características mais relevantes dessas empresas, está a inovação no mercado atuante. Por exemplo, o Airbnb, modelo de negócio de marketplace, que oferece procuras e reservas entre turistas que buscam locações e pessoas que oferecem as acomodações.

Outro modelo de sucesso é a Uber, que revolucionou o meio de transporte, facilitando que usuários solicitem um carro a qualquer hora e lugar com apenas alguns cliques; e várias outros. Mesmo a chegada da pandemia não foi capaz de impedir o crescimento das Startups. Desse modo, no ano passado em toda América Latina. Embora o cenário tenha sido de retração, a quantidade de aportes disponibilizados no 2º trimestre de 2020 resultou em grandes unicórnios (startups de capital fechado que valem mais de US$ 1 bilhão.

No Brasil, podemos citar novas startups unicórnio: Loggi, Ebanx, Wildlife, Gympass, Quinto Andar; fazem parte de um time que conta com o Nubank, Movile, iFood e 99. Enquanto na colômbia tem a Rappi delivery, na Argentina o Auth0 que autoriza e autentica aplicativos.

E não para por aí, diversos países da América Latina, devem receber cerca de R$ 16,5 bilhões de aportes de empresas destinados a esse tipo de negócio.

Novos Unicórnios startups receberão “cheque em branco”

As projeções indicam a tendência de novos investimentos mais arriscados em toda América Latina, e os valores devem passar de US$ 3 bilhões, ou seja, mais de R$ 16 bilhões. Os aportes devem partir de empresas chamadas “cheque em branco”, na qual os investidores realizam apostas em grandes oportunidades de negócios.

De acordo como Bank of America, a estimativa é que em 2021 os SPACs que já é sucesso no mercado de capitais nos EUA, também se torne a “nova sensação” na America Latina, em especial no Brasil. Além disso, de forma geral ao final de todo processo, o Spac via se tronar acionista minoritário das empresas investidas, alto em torno de 20%. Portanto, com valores (cheques), acima de US$ 200 milhões, novos unicórnios surgirão.

Atualmente, esse tipo de oferta (Spacs), tem forte concentração nos Estados Unidos. Porém, devido ao crescimento, o tema chegou com força aos reguladores no Brasil, que estão analisando o assunto. Além do mais, localmente para uma empresa se listar precisa que o balanço seja todo auditado; fato que não é possível em determinada organização considerada “vazia” ou que ainda irá às compras.

Crescimento de ofertas para os unicórnios startups

Por ouro lado, as ofertas que têm o Brasil como alvo tem crescido. E mais Spacs buscam investir em empresas voltadas para o crescimento de capital aberto e gestão diferenciada. Por exemplo a Itiquira Acquisition, fundada pelo ex-sócio da XP e EBX, Paulo Gouvêa, que captou US$ 200 milhões na Nasdaq (Bolsa Americana), para adquirir uma empresa no Brasil; essa é a 2ª Spac com forte atuação no mercado do país.

A forte demanda de investidores estrangeiros pelo Spac (Itiquira), teve como base o histórico das empresas bem sucedidas na bolsa americana; por exemplo a fintech brasileira Stone, e a própria XP, e muitas outras histórias incríveis de sucesso, disse Gouvêa. Além disso, no ano passado, companhias de “cheque em branco”, alcançaram recorde, e passou de US$ 81 bilhões nos EUA.

Enquanto a Alpha Capital, que tem como alvo uma empresa de tecnologias na América Latina, conta com apoio dos argentinos, Rafael Steinhauser e Alec Oxenford. Ambos são bastante conhecidos no setor tecnológico, e já levantaram mais de US$ 230 milhões em Spac este ano. Por exemplo a OLX e Arremate.com, no qual Oxenford é um dos fundadores, enquanto o Steinhauser, e seus 35 anos de experiência no setor, foi presidente da Qualcomm Latin America.

Considerações finais

Startups e seus unicórnios
Fonte: Google

Especialistas no assunto afirmam que os Spacs na América Latina vão cumprir importante papel de fechar o ciclo de investimentos para empresas do setor de tecnologia. Além disso, existem milhares de empresas e a maioria surgiu nos últimos 4 anos, também em 2020 as empresas de tecnologia tiveram forte crescimento devido a pandemia.

Por fim, o caminho para abrir capital através do Spacs pode ser mais curto e quem sabe até menos incerto. Pois uma empresa que é fundada com Spac sabe o valor exato de capital que vai levantar. Enquanto na IPO, é incerto; além disso, grandes quantidades de capital podem ficar na mesa e não ir para o bolso dos primeiros investidores e fundadores, como no caso do IPO da Airbnb, onde as ações valorizam 113% logo no primeiro dia negociado na Nasdaq.

Gostou do nosso artigo? Então, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, com os seus amigos e ainda com os seus familiares. Em seguida, aproveite outros conteúdos para entender melhor sobre finanças, investimentos e conhecer serviços como, por exemplo; cartões de crédito, conta digital e empréstimo, tudo aqui em nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *