E-mail corporativo, o uso indevido causa problemas?

É preciso ter cuidados ao abordar certos assuntos em e-mails profissionais; pois dependendo da gravidade, pode se tornar caso de justiça. Confira!
Anúncios


Fonte: Google

Não é novo para ninguém que o mal uso do e-mail corporativo pode acabar nos tribunais; há muitos casos de processos envolvendo assuntos variados em todo mundo. Desse modo, textos com assuntos ou comentários ofensivos circulando em servidores e computadores das organizações, tornam as empresas e funcionários responsáveis.

Dessa forma, uma pessoa pode ser responsável pelo uso de forma errada dos e-mails. Assim, podendo ter calúnias, declarações falsas, assédios, insultos e muito mais. Além disso, os e-mails que as empresas dão acesso aos empregados, é para uso exclusivo de assuntos com cunho profissional. E podem ter um controle pela empresa, sem que haja violação ao sigilo de correspondência da pessoa.

Mas, não estende aos e-mails pessoais dos funcionários, mesmo que o correio eletrônico pessoal tenha tido acesso no local de trabalho. Mas é preciso consciência por parte dos colaboradores. Pois computadores, e-mails e celulares corporativos, são ferramentas dadas apenas para o uso no trabalho.

Dessa forma, esses e outros itens tecnológicos que pertencem as empresas, têm acesso para atender o que os profissional precisam enquanto empregados e nunca para uso pessoal.

Porém, a legislação e a jurisprudência aplicam como legítimas certas formas de controle por parte das empresas. Por exemplo, câmeras no ambiente de trabalho, desde que não estejam em locais íntimos, assim como fiscalizações na rede.

Neste contexto inclui o uso de máquinas para acessar redes sociais, conteúdos impróprios e outros.

A empresa pode levar a culpa por seus erros.

Quando um empregado usa o e-mail profissional de modo errado, a empresa se torna responsável por danos causados. Isso porque pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), e Código Civil, as empresas são responsáveis pelos atos dos próprios funcionários. Assim, o TST (Tribunal Superior do Trabalho), permite que e-mails institucionais tenham um controle pelo empregador. No entanto, não vale para acesso aos e-mails pessoais dos empregados.

Então, veja alguns tópicos que se devem evitar em e-mails de empresas. Reclamar da liderança é algo comum em algumas organizações, e muitos colaboradores fazem certos comentários trocando e-mails corporativos. Mas, quase sempre esses e-mails e comentários chegam aos superiores, seja por acidente ou de propósito. Dessa forma, todo cuidado é pouco; nos assuntos tratados para que não se tenha uma má interpretação ou distorcidos.

Quando falamos de cuidado com assuntos de e-mails, entende-se que são alertas apenas aos cargos menores, ou nível operacional. No entanto, este cuidado vai até a todos os colaboradores, bem como de quem ocupa cargo de gestão, gerência e até os diretores. Sendo assim, estes devem ficar atentos ao enviar e-mail sobre algum incidente, para evitar mal entendidos; a não ser que a intensão seja chamar atenção por escrito. Mesmo assim, todo cuidado ainda é pouco.

E-mail corporativo: Atenção com as referências de gênero e outros

Fonte: Google

O preconceito existe por toda parte, dentro das empresas não é diferente. Então, jamais envie e-mails nos quais tem assuntos com referências maldosas ou piadas de racismo ou de gênero. Além do risco de responder judicialmente, essas são atitudes que as pessoas de bem repudiam. Desse modo, antes de falar mal de alguém tenha empatia pelo próximo, seja por e-mail corporativo, telefone ou pessoalmente.

Evite discutir comissões, salários, bônus ou outros assuntos referentes a finanças através de correio eletrônico. Estes são assuntos difíceis que devem ser tratados em reuniões particulares, a menos que a empresa tenha essa prática. Além disso, questões financeiras que são tratadas com clientes ou fornecedores que devem ter muita transparência e cautela. Afinal, uma troca de mensagens mal entendida pode causar aborrecimentos no futuro.

Nunca passe informações da empresa aos concorrentes, seja por telefone, e-mail ou de forma pesssoal. Pois se deve a dispensa por justa causa do funcionário que passar dados que não podem ter sua divulgação da empresa na qual trabalha. Portanto, é bom que todos saibam, que escritórios de advocacia costumam ter programas de softwares muito bons para conseguir informações quando pretendem levantar provas no caso de brigas na justiça.

E-mail corporativo: Conclusão.

Já pensou enviar um e-mail interno, no qual você quer assumir outras tarefas além das suas, a fim de corrigir problemas como ineficiências do departamento? Pense bastante antes de mandar e-mails fazendo críticas, sugestões ou se referindo a outros colegas. Atitudes como essa pode não ser bem vista, e ser chamado para reuniões com superiores para explicar esses tipos de comentários não é nada agradável.

Mas, nada mais certo do que a frase que diz “não faça com os outros o que não gostaria que fizesse com você”. Sendo assim, toda pessoa ao começar trabalhar em alguma empresa, deve antes conhecer bem a cultura, as regras e costumes. Mas mesmo que o empregador seja mais maleável não confunda as coisas. Cuidado com certos comportamentos e ainda mais como irá usar as ferramentas de trabalho. Além disso, trabalhe sempre como se a empresa fosse sua, ou seja, como se você fosse o dono.

Gostou do nosso artigo? Então, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, com os seus amigos e ainda com os seus familiares. Em seguida, aproveite outros conteúdos para entender melhor sobre finanças, investimentos e conhecer serviços como, por exemplo; cartões de crédito, conta digital e empréstimo, tudo aqui em nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *