As transformações do teletrabalho trazidas pela pandemia

Descubra as transformações do teletrabalho trazidas pela pandemia que devem ficar ou não. Continue conosco e saiba mais.
Anúncios


As transformações do teletrabalho
Fonte: Google

O Brasil está há mais de um ano sobrevivendo às consequências da crise gerada pelo coronavírus. Por isso, muitas empresas, observando as medidas sanitárias de proteção à vida, adotaram o regime de home office. Mas será que as transformações do teletrabalho trazidas pela pandemia vieram para ficar ou na verdade causar mais problemas? É uma pergunta muito frequente entre os trabalhadores e empresários.  

Sendo assim, em meio às dúvidas, uma empresa especializada em pesquisa trouxe um cenário de projeção sobre o teletrabalho. Portanto, FEEx – FIA Employee Experience indicou que mais de 80% das empresas – de vários portes, adotaram a modalidade de trabalho à distância. Ainda, neste cenário, a pesquisa apontou que desse total apenas cerca de 40% das companhias já disponibilizavam a modalidade antes da crise pandêmica. Por fim, comprovou que apenas 7% atuavam fora de casa.

Mas o grande questionamento sobre as transformações do teletrabalho trazidas pela pandemia é na forma pela qual os trabalhadores desenvolvem suas atividades. Ou seja, a maioria dos trabalhadores dessa modalidade relatam um aumento no índice de estresse, além da sobrecarga de trabalho. Logo, um dos pontos que acarretam essa sobrecarga são as tecnologias utilizadas para comunicação do trabalho remoto, quais sejam; teleconferência, aplicativos de mensagens – WhatsApp, entre outros.

Sendo assim, para tentar esclarecer os dois lados da moeda sobre os questionamentos quanto às transformações do teletrabalho trazidas pela pandemia, nossa equipe produziu este conteúdo para tentar te ajudar a entender melhor. Afinal de contas toda história possui dois lados; o bom e o ruim. Mas para que possa ter uma opinião coerente sobre o assunto, continue lendo os próximos tópicos do artigo. Vamos lá?!

O teletrabalho e as novas ferramentas e comportamento da modalidade

Hoje em dia, com a pandemia da Covid-19, vários trabalhadores passaram a ter a sua rotina mudada. Assim, aquela história – diária, de usar terno e gravata ou blazer e saia, foram substituídas pelo pijama e o shortinho mais confortável. Desse modo, junto à comodidade e conforto do lar, a tecnologia passou a se tornar um companheiro diário de todos.

Nesse sentido, aplicativos que antes eram utilizados para a interatividade e relaxamento, passaram a ser principais ferramentas de trabalho. Assim, WhatsApp, Meet, Zoom e outros, hoje são inseparáveis do dia a dia laboral. Por isso, alguns trabalhadores questionam o uso excessivo das ferramentas que, por vezes, ultrapassam a moderação.

Logo, as videoconferências, as conversas de grupos empresariais e, ainda, as reuniões de pautas em horários fora do habitual, estão sendo duramente criticadas. Mas será que as transformações do teletrabalho trazidas pela pandemia são excessivas ou prejudiciais? Nem sempre. Devemos também dizer que a pesquisa citada referenciou que existem trabalhadores que apontaram uma melhora no relacionamento com o trabalho.

As transformações do teletrabalho e os desafios para os trabalhadores

A pesquisa da FEEx – FIA Employee Experience, apontou que cerca de mais de 50% das empresas já adotaram a modalidade de teletrabalho, outros 40% optaram por admitir a modalidade híbrida de trabalho. Contudo, mesmo observando a flexibilidade na possibilidade de frequentar em dias alternados o ambiente de trabalho – modalidade híbrida, algumas empresas pretendem excluir a modalidade no futuro.

Desse modo, impulsionadas pelos desafios das transformações do teletrabalho trazidas pela pandemia, por exemplo: a suspensão do controle de ponto e jornada, apenas 41% das companhias deixaram de registrar suas atividades. Além disso, outras empresas tentaram instituir o ponto virtual, mas isso soma apenas 13% das companhias.

Contudo, apesar dos problemas enfrentados durante a mudança da modalidade, a pesquisa apontou ainda que, na avaliação dos trabalhadores, 40% declarou que a produtividade é melhor na modalidade home office. Logo, na contra mão, apenas 30% demonstrou uma queda durante o trabalho híbrido.

Teletrabalho, as transformações que vieram para ficar

As transformações do teletrabalho
Fonte: Google

Apesar do debate com relação à melhor modalidade e os seus desafios, as transformações do teletrabalho trazidas pela pandemia, vieram para ficar. Por isso, várias empresas mundiais e de porte gigantes, por exemplo; Twitter, Nestlé, Google, Banco BMG e outras, adotaram a modalidade com sucesso.

Desse modo, podemos enxergar que, além da qualidade de trabalho, o universo corporativo tem atentado ao investimento no ativo profissional. Logo, preservar um funcionário em estado pleno de saúde mental tornou-se algo tão imprescindível para o crescimento de qualquer companhia.

Assim, mesmo reconhecendo as transformações do teletrabalho trazidas pela pandemia e os novos desafios dessa modalidade, o mercado tem optado pela melhoria do modelo e sua expansão, ainda que seja de forma híbrida. Por isso, caro leitor, atente as mudanças e aos novos rumos de uma sociedade que almeja evoluir sempre nos mais diversos setores.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *