Corretoras de valores; a batalha travada no mercado brasileiro

Com tantas opções de corretoras no mercado algumas estão em alta como XP investimentos, BTG, Clean e outras. No entanto existem corretoras menores que podem ser ótimas, confira!
Anúncios


Fonte: Google

O primeiro passo para uma pessoa que deseja se tornar um investidor é abrir conta em alguma corretora de valores, e no mercado existem dezenas de opções. Mas nessa batalha na qual as maiores estão no topo, surgem novas corretoras de valores que estão na “briga” para conquistar seus espaços. E também ter parte do dinheiro que tem saído dos grandes bancos.

Com certeza não será uma tarefa fácil, já que algumas corretoras captam milhões por mês. Exemplo disso são os escritórios de agentes (autônomos) da XP, que faturam de R$ 800 milhões a R$ 1 bilhão mensal. Enquanto isso algumas instituições que trabalham com intermediações não chegam captar esses valores em suas custódias totais no final do mês.

No entanto, há tendência é que os investidores brasileiros diversifiquem as carteiras. Dessa forma as corretoras mais novas terão mais oportunidades neste mercado que irá crescer cada vez mais. Além disso, o Brasil deve passar por processo de propagação de investidores deixando de aplicar seus recursos apenas nos bancos tradicionais.

De fato, seria inovação para o mercado brasileiro, modelo parecido com outros países com a taxa de juros baixa. No qual é comum que as pessoas deixem parte da poupança ter sua administração feita por um assessor, assim como alguma plataforma independente. Por isso, neste artigo iremos falar um pouco para que você leitor conheça outras opções, são CM Capital, Warren, Consulenza, Vitreo e RB Investimentos.

Corretoras de valores; as plataformas que buscam conquistar a confiança

CM Capital – Teve seu início na Espanha no ano de 1986, e hoje em dia com sede em Madri. CM Capital é uma opção de corretora independente; que está disponível no mercado brasileiro desde 1998. A instituição atua no mercado de crédito privado, títulos públicos, BM&F (Bolsa de Mercantil de Futuros), e Bovespa. Além de ter se consolidado como grande participante do mercado institucional.

Warren – Uma jovem instituição financeira que está disponível no mercado desde 2014. Que tem o objetivo principal dos fundadores foi oferecer uma plataforma que transformasse o universo dos investimentos comuns; com um portifólio diversificado e satisfatório de uso descomplicado. A Warren disponibiliza 344 produtos em renda fixa, 146 em renda variável e 205 opções diversificadas, com vários fundos e multimercados.

Consulenza Investimentos – É uma empresa do grupo Azimut, que atua na gestão independente de patrimônio e recursos da Itália; além de ser considerada como uma das maiores na Europa. Logo, a plataforma de investimentos teve sua criação para ajudar as pessoas a tomarem ótimas decisões de uma forma totalmente inovadora e simples. Além disso, traz sugestões de acordo com perfil de risco dos investidores e não cobram pelo serviço de acessória.

Outras opções de corretoras de valores

Fonte: Google

Vitreo – Uma distribuidora de títulos e valores mobiliários, isso quer dizer, DTVM autorizada pelo BC para atuar como instituição financeira. A Vitreo teve seu início em 2018. Ela começou do zero e faz muito sucesso no mercado, com sócios experientes por traz dessa trajetória. Bem como, Patrick O’ Grady, Paulo Lemann, Alexandre Aoude, Ilana Bobrow, George Wachsman, e Everson Ramos. A plataforma tem produtos como renda fixa, multimercados, renda variável e muito mais.

RB Investimentos – É uma plataforma digital de investimentos que pertence ao grupo RB Capital; que contribuiu para o sucesso da corretora, devido os mais de 20 anos de experiência da empresa. Por isso a RB Investimentos pode oferecer soluções mais inovadoras ao mercado. Os destaques ficam por conta do atendimento personalizado, produtos diferenciados e conhecimento financeiro. Além da carteira diversificada em renda fixa e variável, fundos de investimentos e outros.

Todas essas corretoras de valores oferecem produtos variados, atendimentos diferenciados e estão dentro de severas normas que o mercado financeiro do Brasil exige.

Por isso é importante analisar se as plataformas são autorizadas e reguladas pela CVM, Banco Central e Anbima. Além disso, é sempre bom realizar consultas no Reclame aqui para verificar o número de reclamações e recomendações.

Conclusão

Torna imprescindível que a corretora que você escolher para investir recursos esteja regulamentada pela CVM. Que é a comissão de Valores Mobiliários que normaliza, fiscaliza, desenvolve e disciplina o mercado de valores mobiliários no país. Também é importante estar dentro das normas da Ambima, é a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais. Ela representa todas as instituições do mercado brasileiro, que são mais de 340 associados; entre esses diversos bancos, corretoras, empresas de gestão de ativos e patrimônio.

Contudo, o mais importante é autorização do Banco Central para o funcionamento. O BC é uma entidade ligada ao Estado e tem a função de gerenciar a política econômica do Brasil.

Além disso faz a supervisão e regulariza as atividades de todas as instituições financeiras. Sendo assim, as plataformas só podem atuar como corretoras se estiverem regulamentadas pelo BC (Banco Central).

Gostou do nosso conteúdo? Compartilha com seus amigos, parentes e em suas redes sociais. Em seguida leia outros artigos sobre este assunto e outros, tudo aqui em nosso Blog; pense, planeje e realize.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *