FGV anuncia nova queda do Brasil durante a pandemia

Em meio a crise da economia, a confiança no setor de serviços sofre queda no mês de março no brasil. Entenda!
Anúncios


FGV
Fonte: FGV

As projeções do mercado financeiro para o crescimento da economia no país sofre queda de 3,43% para 3,29% em 2021. Em uma pesquisa feita pelo Banco Central com previsões para os principais indicadores econômico no país diante desta crise devido a pandemia do covid-19. A FGV anunciou que tal queda é provocada pelo estado de inércia económica devido as consequências no combate a covid-19.

Sendo assim a expectativa do Produto Interno Bruto(PIB) que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no brasil é de crescimento de 2,50%. Todavia para os anos de 2023 e 2024 a expectativa segue positiva para o país com crescimento do Produto Interno Bruto de aproximadamente 2,50% também. Mas precisa-se ter cautela, pois, as incertezas diante do cenário económico não devem se tornar certezas até que pelo menos boa parte da população esteja vacinada. E dessa forma, a economia volte a respirar novamente para que assim o plano de expansão seja uma realidade no país.

FGV: Aumento da Selic

Entretanto no caso da taxa básica de juros, Selic as Instituições Financeiras sondadas pelo Banco Central tiveram um aumento em suas projeções para o ano de 2021 de cerca de 3,75% e de 4% para o restante do ano de 2021.

Logo, nos dias atuais esta taxa Selic segue estabelecida em 2% ao ano segundo o Comitê de Política Monetária (Copom). Já para o final do ano de 2022, a expectativa é de que esta taxa básica chegue a 5% ao ano. Sendo assim a expectativa para os anos seguintes de 2023 e 2024.

Por isso, a previsão segue em alta de 6% ao ano, assim quando o Copom aumenta esta taxa de baixa de juros tem como finalidade conter a demanda aquecida o que ocasiona reflexos em valores porque os juros mais altos avultam o crédito dando estimulo a poupança.

Veja mais detalhes sobre a pesquisa e quais os reflexos direcionados aos brasileiros e a economia interna.

Setor de serviços no brasil

A confiança no setor de serviços sofreu uma queda no mês de março. Assim, fazendo com que o seu nível tivesse o menor patamar em nove meses. As incertezas que cercam devido o agravamento da pandemia do covid-19 não apenas no país, esses Índices de Confiança de Serviços (ICS), sofreu queda de 5,6 pontos no mês de março de 2021. A 77,6 pontos este segue sendo o menor nível desde o mês de junho de 2020 com leitura de 71,7, segundo dados da FGV.

Contudo este agravamento na satisfação para os empresário deste setor e também com o aumento do pessimismo com relação ao curto prazo significam dificuladades para o setor de serviços diante do agravamento da Pandemia do Covid-19, com o recente aumenta das medidas restritivas para conter a Segunda Onda e o recuo dos clientes.

Assim sendo, o Índice de Situação Atual( ISA-S) que de indicador para a percepção o presente momento no setor de serviços sofreu queda de 4,2 ponto no mês de março deste ano; se comparado com o ano de 2020 com 74,4 pontos o menor nível desde o mês de julho do ano passado. Segundo Índice de Expctativas(IE- S) que retrata as projeções para os meses seguintes, teve um recuo de 6,7pontos.

Perspectiva demonstrada pela FGV para 2022

FGV-Anuncio
Fonte: FGV

Menos despostos a contrair dívidas em meio a Pandemia do Covid-19 que chegou ao brasil com força total os brasileiros com receio do desemprego, deve ter um aumento segundo pesquisas de especialista de vários setores da economia no país onde o setor de serviços vem sofrendo bastante com a Pandemia. Os brasileiros acreditam que a situção econômica deve melhorar no país a partir do 2022, a expectativa da Vacina tem deixado a população otimista.

Entretanto para os pessimistas aproximadamente 14% dos brasileiros não esperam nenhuma melhora pelos próximos quatro anos seguintes. Segundo o IBGE, já 14% dizem não saber o que esperar pois o cenário muda todos os dias e 11% das pessoas ainda acreditam que a situalção tenha uma melhora ainda este ano.

Todavia grande parte deste pessimismo se deve ao desemprego e a volta das medidas restritivas para conter a Segunda Onda da Pandemia do Covid-19 que chegou trazendo mais instabilidade no cenário econônmico do país. Desse modo o desemprego no país segue aumentando cerca de 67% dos brasileiros acreditam que o desemprego pode vir a aumentar pelos meses a seguir.

Níveis em alta da pandemia.

Contudo os níveis seguem aumentando no país e o cenário de incertezas segue aumentando. Assim, fazendo com que visvlumbrar um outro cenário positivo e de uma possível recuperação econômica esteja cada vez mais longe de se tornar realidade no brasil. Enquanto o processo de Vacinação no país não avançar difícilmente o cenário voltará a realidade de estabilidade e crescimento segundo especialista em economia.

É essencial que a Vacina chegue logo para todos os brasileiros. Mas é preciso acelerar também os porfissionais que estão exercendo as ativadade essenciais, para evitar um colapso maior, no setor de serviços seguem as incertezas. Porém não se deve abandonar a esperança de que dias melhores estão por vir.

Neste domingo (28), o número total de mortes provocadas pela Pandemia do Covid-19 no brasil; foi registrado segundo os profissionais de saúde que estão na linha de frente de combate ao Covid-19 a marca de 312 mil pessoas mortas, mostram os dados dos Ministério da Saúde. Já os casos de confirmado da doença superou a marca de 12,5 milhões de brasileiros.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *