Inovação no tesouro direto: investidores recebem no mesmo dia!

Nesta inovação no tesouro direto, os resgates passam a ser realizados no mesmo dia. Fique por dentro!
Anúncios


Inovação no tesouro direto
Fonte: Tesouro Direto

Com esta inovação no tesouro direto, os investidores que estão acostumados a resgatar o valor das aquisições feitas na bolsa um tempo depois, vão poder fazer o resgate no mesmo dia da aplicação. Vamos entender um pouco mais sobre o tesouro direto? Não se preocupe este assunto é mais simples do que parece!  

Recentemente, muitas pessoas tem se interessado sobre o assunto tesouro direto, pois este recurso é usado por muitos investidores que costumam investir fora da tradicional caderneta de poupança. Contudo, se engana quem pensa que o tesouro direto está presente apenas na carteira de investidores. Por se tratar de uma excelente estratégia de proteção e diversificação para os investidores que fazem este tipo de aplicação.  

Logo, se você está começando a investir é importante saber como funciona o tesouro direto, para então ficar por dentro desta inovação no tesouro direto. Por isso, neste artigo vamos explicar tudo que você precisa saber e também os detalhes mais importantes sobre o tesouro direto, os riscos e vantagens.

O passo a passo para que você ingresse no universo dos investimentos, com uma base solida sobre o que é, sobre a inovação no tesouro direto, como funciona e o principal como fazer o investimento com segurança. Leia mais abaixo!

Mas do que se trata o fundo?

Criado em meados de 2002 pelo tesouro nacional, que é o órgão responsável pela administração da dívida pública do país, ou seja, podemos dizer que quando o acionista adquire um título do tesouro direto, você estará fazendo um empréstimo para o Governo. 

O tesouro direto, tem ganhado popularidade entre os acionistas, por se tratar de uma modalidade de aplicação bastante democrática, que te permite fazer investimentos a preços mais baixos do que os habituais, pelo valor de R$ 30, oferecendo liquidez diária para todas as ações, interessante não é mesmo?

Além de tudo isso, a modalidade não é restrita a poucos bancos desse modo os acionistas podem fazer as suas aplicações através de várias instituições financeiras e corretoras de valores. Sendo assim, na plataforma do tesouro existem algumas opções de títulos públicos que estão a venda para os perfis variados de investidores. À vista disso, você pode escolher indexadores diferentes, assim como os vencimentos e fluxos de remuneração.

Funcionamento do Tesouro Direto

Entender como funciona esta modalidade de aplicação, é fundamental para investir de maneira correta no tesouro direto, porque no mercado financeiro existe a diferença entre liquidez e rentabilidade, assim como também os custos que estão envolvidos neste tipo de aplicação. Quando você faz aplicações via tesouro direto, o investidor está financiando a dívida pública federal, para sermos mais claros é comprado um título que garantirá o retorno do empréstimo com remuneração e prazo previamente determinados.

A rentabilidade de uma ação, na prática se trata do juro que o Governo paga ao acionista para que ele possa financiar a sua dívida. A quantia mínima para a aplicação é a fração de 0,01 por título que for emitido por parte do Governo, ou seja, 1% do preço da ação. Entretanto, é definido previamente que o mínimo da aplicação que deve ser aceita no valor de R$ 30, tornando o Tesouro Direto acessível a uma gama de investidores brasileiros.

Portanto, os títulos prefixos e os híbridos, quando são resgatados pelo acionista antes do prazo previsto poderiam causar prejuízos. A causa seria a flutuação que ocorre diariamente nos valores do papel entre os demais fatores que são responsáveis pela oscilação do papel. Simplificando, se na bolsa de valores o acionista acredita que a taxa Selic terá alta de 8% o título do Tesouro é negociado pelo juro fixo de 6% a ação ficará menos interessante e perdendo o seu valor. Caso exista a projeção futura de queda dos juros os preços dos papéis sobem. Desse modo, a remuneração será maior.

Inovação no tesouro direto
Fonte: Google

Inovação no tesouro direto

Esta inovação no tesouro direto, começará a valer após o dia 13 de setembro de 2021 aproximadamente 1,52 milhões de acionistas que estão cadastrados no Tesouro Direto passaram a contar com o possível resgate dos títulos públicos, recebendo o dinheiro no mesmo dia do investimento. Hoje, o prazo do montante resgatado é de pelo menos um dia útil, segundo a B3 informa.

Logo, o investidor que fizer a ordem de venda até a 13 horas poderá resgatar o valor no mesmo dia, pois sabemos que o Tesouro possui uma alta liquidez e com esta inovação a probabilidade é de que a liquidez fique ainda melhor. Porque, trata-se de um produto atrativo em risco, liquidez e rentabilidade, formando o tripé de um produto de aplicação, segundo afirma Vinicius Brancher, superintendente de relacionamento com a pessoa física da B3.

Por fim, esta novidade no movimento deve aproximara os títulos públicos do resgate adotado por meio de poupança e em sua maioria, pelos CDBs dos bancos. Contudo, vale ressaltar que para os acionistas que liquidam este tipo de aplicação depois do horário previsto, continua valendo a regra anterior, ou seja, o dinheiro só cai na conta um dia após a operação.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *