Investimentos em renda variável: conheça os derivativos 

Conheça os tipos de investimentos em renda variável disponíveis no mercado financeiro brasileiro. Fique por dentro!

Investimentos em renda variável
Fonte: Google

Se você quer investir em renda variável com objetivo de diversificar a sua carteira e aumentar a sua rentabilidade. Será necessário entender como os investimentos em renda variável funcionam e quais são os ativos disponíveis no mercado financeiro do Brasil. Por exemplo, os derivativos são investimentos negociado na bolsa que movimenta um alto volume financeiro! 

Nesse artigo, você vai entender como funciona, os derivativos e como o funcionam as aplicações em renda variável. Aprenda a investir na bolsa com segurança, os investimentos em derivativos estão atrelados a valores de outros ativos. Ou seja, isso ocorre porque os derivativos funcionam como um contrato padronizado entre instituições e investidores.  

Além de entender como os investimentos em renda variável funcionam, será necessário, entender como esses contratos funcionam. A quantia final das negociações geralmente é estabelecida de maneira dependente à cotação dos demais ativos. Nesse sentido, boa parte dos ativos que estão ligados aos derivativos geralmente são ações da bolsa.  

Entre os investimentos em renda variável, é possível encontrar derivativos no qual os ativos subjacentes são físicos. Como, as commodities como: soja, café, milho entre outras commodities geralmente os derivativos são negociados na bolsa de valores. Como a B3, onde a maioria das transações são fechadas por contratos padronizados. Saiba mais ao longo do artigo! 

Tipos de derivativos 

Atualmente, existem quatro tipos de comuns de derivativos que são o mercado futuro, o mercado a termo; além de Swaps e Opções. No mercado a termo ambas as partes envolvidas nas negociações firmam um compromisso de compra e venda de um ativo real. Ou seja, uma mercadoria com qualidade e quantidade pré-estabelecido. Desse modo, o acionista e o vendedor permanecem com um vínculo até a data final estabelecida no contrato.  

Diante desse cenário, o acionista assume a responsabilidade de comprar o lote após a data final do contrato. Por exemplo, uma transação de compra e venda de um lote padronizado de milho com entrega prevista para 60 dias. Assim como, a quantia paga pelo ativo já estabelecida no contrato mesmo com variações de valor. 

O investidor deverá pagar o valor citado no contrato, mesmo se houver diferenças para mais ou para menos. Desse modo, as partes fazem valer o seu compromisso de venda, sendo esse tipo de negociação podendo ser realizada com ações, moedas digitais entre outras mercadorias! Já no mercado futuro, a transação ocorre de forma semelhante com uma diferença de que a liquidação ocorre em uma data futura. Assim, nesse caso haja diferença no valor da mercadoria poderá ser ajustada! 

Demais derivativos  

Na modalidade de opções, por exemplo a negociação é pelo direito de compra ou venda a um valor fixo em uma data futura. Para isso, os investidores acompanham as projeções futuras, logo, nesse contrato o acionista se compromete a pagar uma premiação ao vendedor. Isso quer dizer, que um bem pode ser um investimento ou uma mercadoria. Desse modo, o acionista terá o direito de compra, porém, não será obrigado a exercer esse direito.  

Na modalidade de Swaps, que é o menos comum entre os derivativos, na prática, esses derivativos envolvem o comprador e o vendedor em um contrato assumindo as posições de devedor e credor. Desse modo, eles negociam a troca de rentabilidade entre os dois ativos. 

Portanto, nessa modalidade a liquidação ocorre apenas na data de vencimento do contrato. Na modalidade swaps, os acionistas conseguem reduzir os riscos. Aumentando a previsibilidade dos seus rendimentos para os envolvidos no contrato. Vale lembrar ainda que, investir em renda variável pode ser relativamente simples. Afinal, o procedimento ou negociação geralmente ocorre através de uma corretora de investimentos e instituições

Investimentos em renda variável 

Investimentos em renda variável
Fonte: Google

Antes de começar com os investimentos em renda variável, será necessário procurar saber como os derivativos funcionam. Além de entender como as perspectivas de lucratividade que esse tipo de investimento possui. Ainda nesse contexto, você deverá entrar para esse mercado com a certeza de que os seus objetivos estão alinhados com esse segmento.  

Então, após tomar a sua decisão você poderá escolher com calma o tipo de derivativo que existe em renda variável. Assim como mencionei, os derivativos funcionam como um contrato padronizado entre instituições, corretoras e acionistas. Além disso, entre os derivativos o valor final das negociações geralmente é estabelecido de acordo com à cotação dos demais ativos. Assim, boa parte dos ativos ligados aos derivativos geralmente são ações da bolsa. 

Como mencionei anteriormente, nesse segmento os investidores acompanham as projeções futuras, logo, nesse contrato o acionista se compromete a pagar uma premiação ao vendedor. Isso quer dizer, que um bem pode ser um investimento ou uma mercadoria. Assim, o acionista terá o direito de compra, contudo, não será obrigado a exercer esse direito. 

Gostou desse conteúdo? Acompanhe as novidades e curiosidades do universo das finanças no nosso blog. Esperamos por você! Memivi.