IPO da chinesa Didi e Criptoativos: lições sobre antifragilidade!

Após IPO da chinesa Didi, as autoridades chinesas determinaram que lojas de Aplicativos deixem de listar o App da empresa. Fique por dentro!
Anúncios


IPO da chinesa Didi
Fonte: Google

O IPO da chinesa DiDi, foi um dos mais bem sucedidos nos últimos meses, segundo análise de especialistas do setor. Considerado o melhor aplicativo de transporte para utilizar na China, mais conhecido também como Uber chinês, os usuários o chamam assim, devido à semelhança do App de transporte de maior sucesso no mundo. Além de funcionar muito bem e por um valor adequado!

A empresa escolheu fazer o IPO na cidade de Nova York ao invés de Hong Kong, visando uma avaliação de US$ 100 bilhões, segundo fontes ligadas ao App. Com a meta estabelecida, a DiDi planejava levantar US$ 10 bilhões na venda de 10% dos seus papéis, este foi o maior IPO chinês nos EUA desde a estreia do Alibaba no ano de 2014, que atingiu um total de US$ 25 bilhões.

Apesar da animação do mercado em torno das ações do IPO da chinesa DiDi, recentemente, a companhia não ganhou muitas manchetes dos veículos especializados tendo em vista o aumento nas ações. Ao contrário disso, as ações da companhia têm sofrido imposições feitas pelo Governo asiático.

Como a grande maioria das empresas chinesas, o IPO da chinesa DiDi sofre uma série de riscos políticos e de Governança. Os anos de 2020/ 21 tem sido um pouco complicado para várias empresas chinesas, devido às investidas do Governo chinês contra Tencent, Meituan, Alibaba entre outras gigantes da tecnologia.

Cibersegurança

Autoridades reguladoras de cibersegurança chinesas ordenaram que os Aplicativos da DiDi fossem retirados da App store na China, sobre a alegação de violações de privacidade por parte da empresa, já os seus usuários antigos podem usar o App normalmente. Contudo, as atualizações e novos downloads não serão possíveis para novos usuários.

As ações da companhia, negociadas na Bolsa americana, sofreram queda de quase 30% na pré-abertura do setor nesta última semana, após recesso do feriado de 4 de julho. Este acontecimento repentino acabou repercutindo negativamente sobre as ações da empresa.

A DiDi Global Inc. teria sido reportada pelas autoridades chinesas, meses antes do IPO sobre o risco que enfrentava. Segundo analistas, quando se trata do país asiático, precisamos colocar algumas doses de incertezas sobre estas empresas no mercado financeiro.

O contrário de frágil é?

A resposta para esta pergunta poderia ser robusta, porém, como Nassim Taleb, autor de Alógica do Cisne Negro costuma citar, a alternativa é antifrágil, ou seja, antifrágil quer dizer algo que não resiste ao impacto, porém ganha corpo e poder com ele. É aí que entra a moeda digital mais famosa, entre as criptomoedas do mercado, o Bitcoin e outros criptoativos também.

Este acontecimento com a DiDi, nos faz lembrar da natureza das moedas digitais, que em um contexto bastante conhecido na China, se mostrou capaz de ganhar força, as moedas digitais já sofreram com restrições regulatórias no país. Claro, durou pouco tempo, mas suficiente para que o Bitcoin sofresse impactos negativos e volatilidade. Porém, em todas as situações, a moeda saiu mais forte!

Por fim, o ponto dessa questão, que confere a moeda digital bitcoin e também os ativos similares, é a base de seu funcionamento que tem como protocolo a descentralização. Mesmo que a chinesa DiDi e o Bitcoin possam ter sofrido ações regulatórias por parte da China ou um breve bloqueio nas lojas de aplicativos, por exemplo, o ganho da descentralização é a possibilidade de remoção dos intermediários. O fato é que os ativos tradicionais, fatalmente, são sujeitos a riscos oriundos dessa fragilidade.

IPO da chinesa Didi
Fonte: Bitcoin

IPO da chinesa Didi

No início desse mês, antes da DiDi realizar a IPO de suas ações, os órgãos reguladores de segurança cibernética da China, sugeriu que a empresa de aplicativos adiasse a oferta pública, em seguida solicitou uma avaliação interna de rede de segurança da empresa, para a DiDi, esta espera seria um problema.

O IPO da chinesa DiDi, levantou cerca de US$ 4,4 bilhões, na maior operação já feita para uma empresa do país asiático, desde o IPO do Alibabab como já mencionamos. Em Pequim, as autoridades seguem temerosos em relação ao risco que os dados da empresa possam passar para mãos estrangeiras.

As ações da companhia, na cidade de Nova York começaram a ser negociadas nesta última semana, o regulador do ciberespaço iniciou a própria revisão do setor na DiDi Global e bloqueou o App da empresa para receber novos usuários, porém os usuários mais antigos não sofreram com este bloqueio. Contudo, apesar do bloqueio a empresa deverá gerar receita, tendo em vista os clientes que já existem.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.