Descubra a Kalunga; e sua estratégia de venda

Sócios da maior empresa em suprimentos para escritório, material escolar e informática do Brasil, anunciam venda para própria empresa para pagar dívida, além de abrir registro em IPO.
Anúncios


Fonte: Kalunga

A Kalunga teve seu início em 1972, trata-se da maior rede de lojas especializadas em eletrônicos, materiais de escritório e papelaria. Assim, atuando em 21 estados e possui 224 lojas com mais de 10 mil itens de marcas variadas. Além disso a empresa também possui os produtos de marca própria, responsabilidade da subsidiária Spiral do país.

Dentre esses produtos estão material escolar, itens de organização, impressoras, móveis e outros. E são comercializados através de lojas físicas, online e televendas. A Kalunga possui ainda um suporte do CD (centro de distribuição), todo projetado os canais responsáveis pela distribuição da empresa. Que assim, podem ser entregas direto aos clientes ou para as lojas.

O nome da empresa foi ideia do sócio Damião Garcia que deu início a história da empresa em uma simples papelaria em São Paulo. Desse modo, Kalunga significa “Tudo de Bom” em dialeto banto africano. Mas não demorou muito para a pequena empresa se tornar forte no segmento atacadista. Dessa forma, passou a fornecer suprimentos de escritório para instituições de porte pequeno, também as maiores.

Além disso a varejista solicitou registro no IPO com intuito de expansão da própria empresa. Com isso, os irmãos e sócios José Roberto Garcia e Paulo Garcia (únicos sócios), irão vender a fábrica para a própria varejista. Assim irão usar os recursos e pagar dívida que possuem de aproximadamente R$ 480 milhões, continue a leitura e entenda melhor todo esse processo.

Kalunga: “Venda de Spiral” e a trajetória no IPO

Como mencionamos os irmãos Garcia, são os únicos sócios da Kalunga e anunciaram nessa semana assinatura do contrato de venda da fábrica de material Spiral. No entanto a venda foi feita para própria varejista no mês de outubro do ano passado, pelo valor de R$ 106,2 milhões. Ambos eram proprietários da fábrica de Spiral, que fornece produtos de escritório e papelaria para Kalunga.

A princípio os sócios irão usar o recurso para quitar parte de dívida que possui com a empresa. O valor passa de R$ 479,00 milhões. Bem como, anunciaram também que o restante da dívida será quitado com recursos de oferta secundária de ações da Kalunga, que está previsto para acontecer este ano. Já que está em processo de oferta de ações e tem intenção de captar algo em torno de R$ 1 bilhão.

Mas antes vamos entender o que quer dizer a sigla IPO, em inglês é “Initial Public Offering”; no bom e claro português significa “Oferta Pública Inicial”. Em outras palavras, a primeira vez que uma empresa disponibiliza suas ações à venda na bolsa de valores. Por isso passa ser chamada de empresas de capital aberto.

Conhecendo melhor o processo de oferta pública inicial

Fonte: Kalunga

Uma dúvida comum é de como funciona essas ofertas públicas e quais os motivos que levam as empresas a adotarem essa estratégia. Pois bem, ao pedir registro no IPO significa que as ações da empresa solicitante ficarão disponível para serem negociadas. Isso quer dizer, estará disponível no mercado de ações e investidores podem comprar parte e ter participação nos lucros quando houver a distribuição.

No exemplo da Kalunga, a empresa irá deixar de ter apenas os irmãos Garcia como sócios. Assim passará ter sócios do anonimato por toda parte do Brasil e possivelmente do mundo. Logo, esses novos sócios irão negociar as partes da companhia (Kalunga) na Bolsa de valores como mencionamos anteriormente.

Então, IPO tem como objetivo a captação de recursos para realização de investimentos e a possibilidade de crescimento da empresa. E para os que gostam de investir na B3, essa pode ser uma chance de comprar ações em um momento que a empresa está começando na bolsa. Dessa forma, pode lucrar bastante com o crescimento da instituição neste mercado.

Vantagens e Desvantagens

Após uma empresa abrir capital a empresa passa ter algumas vantagens, por exemplo acesso a recursos de muitos acionistas. Logo, com mais dinheiro, passar ter mais oportunidades, um leque de possibilidades irá surgir. Inclusive levar o segmento do negócio a um nível jamais imaginado e de ver os resultados aumentando ainda mais. 

Sendo assim, com esses recursos a empresa pode fazer novos investimentos na estrutura da empresa. Como por exemplo em novos serviços e produtos, abrir filiais, fazer novas aquisições e pagar dívidas. Além disso, órgãos responsáveis irão deixar os investimentos mais seguros; e com as informações das operações financeiras disponíveis ao público, torna a empresa mais transparente aos novos acionistas.

Como desvantagens, podemos destacar os custos e burocracia durante o processo quando determinada empresa lança oferta pública inicial. Além disso, os donos perdem parte da liberdade, já que após essa decisão precisam dar satisfação aos acionistas do grupo; bem como, ao conselho de administração.

Gostou do nosso artigo? Então, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, com os seus amigos e ainda com os seus familiares. Em seguida, aproveite outros conteúdos para entender melhor sobre finanças, investimentos e outros aqui em nosso blog; planeje, sonhe e conquista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *