Open Banking no Brasil: Banco Central adia início da 2ª fase!

Segunda fase da implementação do Open Banking no Brasil é adiada pelo Banco Central. Fique por dentro!
Anúncios


Open Banking no Brasil
Fonte: Google

O Banco Central anunciou recentemente, o adiamento da 2ª fase na implementação do Open Banking no Brasil. O início desta segunda fase considerada muito importante estava previsto para o final de agosto de 2021. Hoje, o mercado financeiro do país se encontra na primeira fase da implementação que teve início no mês de fevereiro deste ano.

Nesta primeira etapa, as instituições financeiras podem compartilhar os dados sobre canais de atendimento, produtos, serviços e localização de agências. Baseados nestas informações, os bancos que estão habilitados podem fazer comparações através de APIs. A segunda fase, deverá envolver troca de informações cadastrais dos titulares das contas, assim, haverá portabilidade dos dados com outras instituições e fintechs.

A chegada do Open Banking no Brasil, representa uma evolução para o mercado financeiro, além de significar benefícios para o consumidor e tarifas mais baixas. O objetivo por trás desta implementação, é reduzir o enorme poder das grandes instituições financeiras.

Em um evento realizado no mês de novembro em 2019, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, fez comparações relacionadas aos grandes bancos, cuja muralha que possui mais resistência em relação ao Open Banking no Brasil, são os grandes bancos que retém informações dos clientes.

Implementação cuidadosa

O Open Banking, está em vigor no Brasil a mais de três anos e a tecnologia digital segue transformando o mercado financeiro brasileiro. Segundo alguns economistas, esta infraestrutura desenvolvida para enviar informações para os bancos cadastrados, trazendo mais agilidade para muitos serviços. As instituições financeiras tradicionais, possuem uma aglomeração de tecnologias, porém, com sistemas mais antigos e que já foram abandonados na maioria dos outros setores.

Do ponto de vista de muitos especialistas do setor financeiro, a implementação do Open Banking no Brasil é uma notícia positiva. Em um relatório feito pela Economist Intelligence Unit indicou que os players estabelecidos serão os grandes beneficiários do novo desenho competitivo.

Tendo em vista o sucesso da primeira fase, o Open Banking no Brasil já conta com a confiança de alguns clientes e possuem um poder de investimento inigualável, um estudo feito por analistas do mercado revelou que os bancos precisam estabelecer estratégias tecnológicas para competir com os novos bancos conforme o Open Banking for implementado por aqui.

Preparando a casa

Além das várias adaptações que deverão ser feitas com a chegada da nova tecnologia, em cada uma das quatro fases que reúnem uma infinidade de sistemas como, o cadastro dos clientes, as transações dos cartões de crédito e assim por diante. Alguns economistas preveem a inclusão dessas novas categorias de dados ao longo das quatro fases, porém o espaço entre elas é curto.

À medida que as adaptações seguem sendo feitas para a estreia da segunda fase, estão sendo discutidos os parâmetros das etapas que viram a seguir. Pois, o escopo do projeto é maior, e os prazos são bem curtos em comparação a implementação nos demais países, onde o Open Banking foi implantado, como Austrália e Reino Unido.

Segundo o diretor de Inovação da Febraban, Leandro Vilain, o mercado bancário do país é concentrado, porém, existem países com a mesma sistemática em seus mercados. O fato é que assim como, a produção de celulose e a siderurgia, o mercado exige muito capital, porém isso não quer dizer que não exista competição. Este é um argumento relevante, porque é possível que os desafiantes atuais possam se tornar os incumbentes de amanhã, como, por exemplo, a Amazon no comércio eletrônico.

Open Banking no Brasil

Open Banking no Brasil
Fonte: Google

A tecnologia do Open Banking no Brasil, permitirá uma expansão da oferta de produtos e serviços financeiros — e promete mais concorrência e competição para um mercado conhecido por ser super concentrado, o Banco Central afirmou que todas as transações são 100% seguras e o cliente possui total controle das informações compartilhadas.

Esta inovação tecnológica, chegou para facilitar tanto a vida dos clientes que desejam migrar para outro banco ou adquirir um novo produto financeiro, como para os bancos que poderão compartilhar os dados dos seus clientes com concorrentes, sem perder o cliente. Pois, a tecnologia será a mesma!

As vantagens do Open Banking, são as mais variadas para ambos os lados, os clientes terão mais liberdade e autonomia. Atualmente, a burocracia que os clientes de bancos mais antigos enfrentam quando decidem trocar de instituição é enorme e em alguns casos não possuem vantagens relevantes. Portanto, com a implementação da tecnologia os custos serão menores, tendo em vista as APIs abertas que tem o objetivo de criar um sistema integrado, onde será possível cortar intermediários, tornando os serviços mais ágeis.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *