Preço da Moeda Digital, Bitcoin sofre queda de US$ 33 mil

Na última semana, o Preço da Moeda Digital Bitcoin caiu para baixo de US$ 33 mil. Fique por dentro!
Anúncios


Preço da Moeda Digital Bitcoin
Fonte: Google

O Preço da Moeda Digital Bitcoin, voltou a sofrer queda nesta última semana, a criptomoeda registrava uma baixa de 3,33% em comparação com a mesma cotação de uns dias atrás. De acordo com os analistas a moeda voltou para a casa dos US$ 32 mil pela primeira vez este mês. Ainda segundo os analistas, houve uma queda de 19 pontos percentuais.

Visto que, a uma semana antes a queda o preço era de US$ 40 mil. À vista disso, tanto investidores da moeda digital como economistas que acompanham o mercado relatam que a queda está atribuída a China que vem reforçando a repressão as mineradoras de criptomoedas. recentemente no país, algumas mineradoras da província de Sichuan foram fechadas.

Embora, o Preço da Moeda Digital Bitcoin tenha caído, entre as moedas digitais o Bitcoin é hoje uma das mais populares por se tratar de um negócio bastante rentável segundo analistas do criptomercado, antes da pandemia do novo coronavírus o Bitcoin tinha uma preferencia específica entre os investidores do setor.

Sendo assim, com o Preço da Moeda Digital Bitcoin caindo pela segunda semana consecutiva, ela deixará de ocupar o primeiro lugar no ranking de criptomoedas que são mais valorizadas pelos investidores. Nos dias de hoje as moedas digitais estão cada vez mais populares, atraindo muitos acionistas mesmo em meio a volatilidade do mercado. Leia mais abaixo e fique por dentro!

Por que o Bitcoin precisa consumir tanta energia?

Tendo em vista, avanço da capacidade de processamento dos computadores nos dias atuais, que nos permite a resolver praticamente tudo mais rápido e até mesmo consumindo menos energia, além de contribuírem para abertura de portas para mais inovações. Entretanto, no universo das criptomoedas isto não ocorre com tanta frequência.

Pois, por mais que a capacidade dos computadores tenha melhorado, as transferências financeiras continuarão levando o tempo que é necessário para a mineração ou consumindo até mais energia do que antes, devido ao crescimento do mercado.

Logo, essa lógica no funcionamento é descrita por David Gerard crítico do setor de criptomoedas como ineficiente, está seria a explicação para o consumo elétrico do Bitcoin. Pois, segundo analistas, a mineração de moedas digitais utiliza a mesma energia que a Argentina inteira.  

Por que a repressão da China foi a responsável pelo Preço da moeda digital bitcoin cair?

Com a repressão que a China tem feito a mineração de criptomoedas, fez com que o Preço da Moeda Digital Bitcoin tivesse um declínio significativo e também no seu poder de processamento que tem caído drasticamente, no mês passado inclusive. Segundo analistas, estima-se que aproximadamente 65% da mineração mundial de Bitcoin é feita na China.

A rede bitcoin, não possui nenhum partido central ou intermediário para aprovar a suas transações ou gerar a novas moedas. Ao contrário disso, o Blockchain segue sendo mantido pelos mineradores que correm para resolver os algorítmos complexos, utilizando computadores feitos especialmente para validar essas transações. Desse modo, qualquer minerador que ganhar a corrida é pago com Bitcoin.

Por fim, este processo intensivo de uso de energia acabou gerando preocupação relacionado ao potencial dano ao meio ambiente do Bitcoin. Vale ressaltar, que recentemente Elon Musk o CEO da Tesla, andou comentando sobre o impacto ambiental, assim como a secretária do Tesouro Americano, Janet Yellen que também falou sobre o impacto. A China, onde encontramos a maior parte da mineração de bitcoin é dependente da energia que vem do carvão no mês de maio a mina situada na região de Xinjiang inundou e fechou, fazendo com que pelo menos um quarto da taxa de hash do bitcoin ficasse off-line.

Preço da Moeda Digital Bitcoin
Fonte: Google

Objetivos perdidos no meio do caminho

O objetivo por trás da criação da moeda, previa um mundo no qual as pessoas poderiam utilizar os seus computadores para contribuir com validação das transferências, para evitar uma concentração da rede e dessa forma utilizando a grande quantidade de energia que é usada nos dias de hoje.

Contudo, a moeda foi na direção contrária. Os mineradores profissionais desenvolveram ASICs, que são circuitos integrados de aplicação específica feitos sob medida para resolver a fórmula do Bitcoin. A existências desses circuitos afastam qualquer computador doméstico da loteria de mineração, ou seja, seria como concorrer com aposta única enquanto os mineradores mais experientes fazem milhares de apostas por vez.

Segundo o centro de Cambridge para Finanças Alternativas, atualmente na região de Xinjiang na China está acomulado aproximadamente 35% de todo o poder de processamento do Bitcoin. À vista de que todo o resto do país asiático possui 50% apenas.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *