Taxa Selic à 2% ao ano: estabilidade da taxa e consequências.

Se você é um investidor; em LCA. CDI, CDB, tesouro direito e outros títulos, essa notícia deve te deixado de cabelo em pé! Não sabe quais as consequências da Selic estável? Saiba tudo nesse artigo.
Anúncios


Fonte: Google

Uma das principais taxas a movimentar o mercado financeiro e outros, a Taxa Selic é o termômetro para um curto

Grande ou exagerado impulso da economia do país, isso porque a “mocinha” é quem determina os ajustes de preço e regula a inflação no Brasil.

Por isso, qualquer que seja a sua variação, para mais ou menos, ela interfere diretamente em seu bolso e em seus investimentos.

Por isso nosso blog decidi analisar e entender quais os impactos dessa “estabilidade” anunciada essa semana pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

Quer descobrir quais os impactos dessa “fixação” de 2% da Selic em seu bolso e rendimentos? Então não desgruda os olhos do nosso artigo e leia até o final.

Vamos lá!

Taxa Selic: Sobre a decisão do Copom

O Copom, ainda na penúltima semana do mês de setembro de 2020, decidiu anunciar que seu comitê prefixou de forma unânime o percentual de 2% para taxa básica de juros ao ano. Desde o último registro de fixação em 1996, em quase dez cortes consecutivos, que a taxa de juros não sofreu alteração.

Para essa decisão o Copom justificou que na atual conjuntura econômica adota a postura de prescrição ao estímulo monetário extraordinariamente elevado.

Contudo reconhece; com prudência de estabilidade financeira que no espaço remanescente devasse ter responsabilidade com a utilização da política monetária.

Dessa forma, se houver, um elevado aumento dessa projeção deverá ser pequeno e consequentemente, os ajustes futuros. E na proporção do grau de estímulo ocorreriam com gradualismo adicional e que deverão depender da percepção da trajetória fiscal.

Ou seja, para o comitê; a evolução da taxa deverá acorrer ao longo da evolução econômica do país. Contudo observando, com responsabilidade fiscal e monetária, e desenvolvimento econômico interno sem sacrificar um ou outro setor econômico.

O que diz o BC?

O BC, já vinha informando a possível estabilidade da Selic e isso tinha ocorrido muito antes da acirrada disputa de preço dos alimentos. Segundo o Banco Central o comitê mantém a prefixação da taxa para reduzir os danos econômicos causados pela crise financeira mundial. E que as medidas tem a intensão de causar um cenário ainda pior que o atual.

Assim, com a decisão do Copom  em fixar a taxa básica de juros tomando como base o sistema de metas sobe a inflação deve gerar reações na variação de preço dos alimentos.

Ou seja, com o aumento dos preços a taxa foi obrigada a se manter em 2%. Assim prevê que a inflação apresentará uma elevação em curto prazo.

Apesar da variação nos preços dos alimentos o comitê avalia que a inflação deve estabelecer uma normalização de preço em outros setores e serviços. Dessa forma, trazendo uma recuperação dos índices de mobilidade e quanto aos níveis de atividade econômica até o final de 2020.

Quais os motivos para o Banco Central interferir na taxa Selic?

Fonte: Google

Você pode imaginar as seguintes situações para entender melhor: quanto mais alta a taxa, menos consumo e ocorre uma desaceleração da economia. Porém, com a taxa de juros mais baixa, aumenta o consumo de produtos e serviços aquecendo a economia interna.

Assim, são esses os motivos pelos quais o BC segura ou baixa a Selic. Quando enxerga segurança na economia adota medidas para o crescimento e aquecimento, quando não segura a taxa para reduzir os prejuízos.

Qual a influência da baixa na Selic nos investimentos; é bom ou ruim?

Isso vai depender do seu tipo de investimento. Afinal a variação de rendimento para cada tipo de investimento é tomada por três bases:

  • Inflação;
  • O rendimento derivado de outros investimentos;
  • E as taxas por empréstimos.

Ou seja, com o anúncio da redução da taxa pelo Copom você perceberá um efeito cascata pelas instituições financeira. Elas também devem reduzir as taxas de juros, dessa forma, os investimentos que têm como maior garantia a base da inflação sofrerão com esse efeito, já que acompanham a Selic.

Outro ponto a ser observado são os preços em geral que acrescentam cálculo da inflação e que quase sempre podem variar. Seja para mais ou menos, já que essa mesma taxa foi diminuída com o intuito de estimular a economia, controlando a inflação e aquecer o mercado financeiro.

Por fim, se você possui investimento em títulos como Tesouro direto, LCI e CDB saiba que esses tipos de investimentos adotam a Selic como base de rendimento, logo passaram a render menos que o planejado.

Gostou do artigo? Compartilha com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Por fim, acesse a outras informações sobre o mercado financeiro aqui em nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *