Trabalho remoto, gigantes recusam à modalidade

Grandes empresas tecnológicas não aceitam o trabalho remoto em tempo integral! Saiba mais.
Anúncios


homem no trabalho remoto
Fonte: Google

Desde o início da pandemia do Coronavírus foi imposto um isolamento social onde as empresas tiveram que se adaptar ao home office e graças a revolução digital que estamos vivendo, essa possibilidade existe. Mas algumas empresas gigantes da tecnologia rejeitam essa modalidade de trabalho remoto em tempo integral. A chefe de recursos humanos do Google anunciou aos funcionários que estavam adiantando o calendário de retorno ao escritório.

Fiona Cicconi acrescentou ainda que, aqueles que quiserem executar suas atividades de outro país além de 14 dias terão que fazer um pedido formal a empresa e é esperado que os funcionários se mantenham a uma distância que eles consigam se deslocar até o escritório. Sendo assim, nada de usar o notebook para trabalhar de qualquer lugar. Vai haver mais flexibilidade do que era antes, mas a maioria dos trabalhadores vai retornar ao escritório. Contrariando então, o que os executivos do Vale do Silício defenderam no ano passado.

Outro exemplo é o cofundador da rede do passarinho azul, Jack Dorsey, que disse que os colaboradores da rede social poderiam, a partir de maio de 2020, o trabalho remoto seria para sempre, mas existem condições para que isso aconteça, como: desempenharem o mesmo papel estando em casa e uma situação que os proporcione fazê-lo.

Mas, o Twitter anunciou que aguarda que a maioria de seus funcionários passe um tempo trabalhando no escritório e um tempo em casa. Acreditava-se que depois da pandemia, para as empresas do Vale do Silício o novo normal seria a alta demanda do trabalho remoto, com uma pequena equipe no escritório.

Mas, está cada vez mais visível que não vai ser bem assim. As gigantes da tecnologia, disseram que estão operando no modo de trabalho híbrido, um período atua de casa e outro período do escritório.

A Microsoft acredita que o trabalho remoto em menos de 50% do tempo, no futuro se tornará padrão para a maioria dos empregos. Compreenda mais sobre este assunto nos tópicos seguintes!

O apelo pelo trabalho remoto

Os defensores do trabalho remoto acreditam que com a revolução digital, as gigantes tecnológicas já estão à frente desse modelo há muito tempo. Uma vantagem para essas empresas que são pioneiras e seguem o modelo de home office, é que os melhores profissionais se sentem atraídos por essa “liberdade”.

As empresas de tecnologia não querem perder seus colaboradores para as adversárias, porque elas dão mais flexibilidade para trabalhar. O Spotify, por exemplo, está funcionando com essa modalidade híbrida de trabalho. Os funcionários podem trabalhar em casa, no escritório ou conciliar ambos. Para combinar a melhor opção, cada funcionário decide com seu gerente o modo de trabalho que vai operar. Mas durante o caminho, alguns ajustes ainda vão ser feitos.

Sendo assim, cada empresa tem uma definição diferente de trabalho flexível, o Spotify é diferente do Google que também é diferente da Amazon. A Amazon por sua vez, relata que com a volta gradual de seus funcionários para o escritório, é notória a melhora na produtividade, além do mais, as pessoas que foram contratadas na pandemia e começaram a trabalhar em casa, tiveram mais dificuldade de adaptação.

Esses foram os motivos que levaram a companhia a não aderir o home office definitivamente, mas a empresa ainda está percebendo o que funciona e o que não funciona. Consequentemente ainda é muito cedo para se comprometer com o trabalho remoto, alguns funcionários dizem que é mais fácil resolver situações difíceis quando estão no presencial e outros discordam. Nos últimos tempos da pandemia, outras gigantes tecnológicas como o Facebook, divulgaram que adotariam definitivamente o home office.

A cultura Home Office

As empresas estão se acostumando com essa maneira de trabalho, e aos poucos vão descobrindo o que dá certo e o que não é bom. Há alguns especialistas que acreditam que com o trabalho remoto a trajetória da carreira seja prejudicada, por isso é importante tentar abordagens diferentes para que isso funciona para a maior quantidade de pessoas possíveis.

Por mais que o home office seja uma medida necessária nos últimos tempos, existem algumas implicações negativas que refletem na cultura organizacional. Essa cultura se trata de um conjunto de valores, ações e crenças que definem o clima de uma empresa, é um fator importante para a organização e alinhamento diários dos funcionários.

Um dos impactos do trabalho remoto é a falta de integração que o trabalho presencial proporciona, a falta de relacionamento entre os colegas e as oportunidades de trabalhar e construir em conjunto. Por incrível que pareça, o home office intensifica a comunicação entre líderes e colaboradores, mas diminui entre os colegas. Isso acontece porque no isolamento social perdemos um pouco da colaboração entre pares, e como consequência desse impacto negativo veremos nos resultados de longo prazo.

Qual a melhor opção de trabalho para o trabalhador: Home office ou presencial?

trabalho remoto
Fonte: Google

O trabalho remoto tem as suas vantagens, como o tempo poupado de ter que sair de casa e enfrentar o trajeto até chegar em seu espaço físico, maior flexibilidade para trabalhar, estar mais próximo da família, melhoria na qualidade de vida e até melhor concentração por estar sozinho e em um ambiente calmo e confortável.

Mas por outro lado também tem as suas desvantagens, como a necessidade de uma estrutura adequada para trabalhar, se atrapalhar com as tarefas de casa e do trabalho e consequentemente trabalhar além do horário. A empresa fica responsável por fornecer os equipamentos que são necessários, incluindo um auxílio internet, se necessário. A empresa também leva vantagem por economizar com o auxílio transporte e diminuir os gastos com luz, água e espaço.

Mesmo com toda essa revolução digital, as empresas ainda não têm a certeza daquilo que melhor funciona, o trabalho remoto, presencial ou flexível. A cada dia que passa vão avançando e se reinventando. Até então acredita-se que o modelo híbrido está sendo o mais aceito pelas empresas, para haver equilíbrio entre interesses e necessidades da corporação e dos profissionais, mas isso pode mudar ao longo do tempo.

Conclusão

O melhor momento para avaliar qual o regime de trabalho mais interessante, é quando o período mais crítico da pandemia passar e a maior parte das atividades presenciais retornarem. Dessa forma as empresas conseguirão avaliar se a experiência do trabalho remoto permanece ou se o modelo se esgotou devido a pressão da pandemia.

A expectativa é que o melhor e mais aceito sistema seja o flexível após alguns ajustes e limites estabelecidos, procurando manter a qualidade de vida dos funcionários e alcançar os objetivos estabelecidos pelas empresas. Mas claro que, deve se levar em conta o perfil de cada negócio para que sejam feitas as adaptações corretas.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *