Volatilidade de juros segundo Copom: visão do mercado!

Restando apenas alguns dias para o final de 2021, entenda a visão do mercado diante da Volatilidade de juros segundo Copom. Fique por dentro!

Volatilidade de juros segundo Copom
Fonte: COPOM

Recentemente o Comitê de Política Monetária do BCB informou que deverá aumentar pela sétima vez consecutiva a taxa de juros básica. Sendo assim, deixando a Volatilidade de juros segundo Copom ainda mais difícil ser estabilizada. Nesse sentido, com o novo aumento a taxa passou a valer 1,5 % a mais. O que acabou contribuindo para o aumento da taxa Selic que segue alta desde julho desse ano.  

Segundo alguns economistas, apenas em 2017 tivemos um aumento tão negativo. Sendo assim, naquele ano a taxa de juros básica chegou a atingir 9,25 pontos percentuais ao ano. Nesse contexto, segundo informou o Copom esse cenário não é animador. Ainda segundo o comitê essa oscilação começou depois que a variante ômicron surgiu a alguns meses. Por isso, restando apenas alguns dias para a chegada de 2022 muitos investidores estão apreensivos em relação aos meses a seguir. 

Além da Volatilidade de juros segundo Copom, os analistas observaram que o período prolongado de ações usadas para combater os graves efeitos deixados pela pandemia da covid-19. Acabou trazendo alguns riscos para algumas contas públicas mais importantes. Sendo assim, segundo o comitê deverá haver um novo reajuste na próxima reunião que está marcada para o mês de fevereiro de 2022. 

Nesse cenário, além desse reajuste o comitê deverá discutir também a intensa Volatilidade de juros segundo Copom. Desse modo, caso haja mais um aumento da taxa Selic os investidores precisam ficar atentos. Assim como, o restante da população, pois caso a taxa básica sofra algum reajuste teremos um o investimento em poupança deverá ser de 0,5%, sendo 6,17% de juros ao ano.  

Definição da taxa Selic 

Certamente você já deve ter ouvido falar na taxa Selic, assim como, outras taxas de grande importância para economia do país. Portanto, a Selic é o principal instrumento do Banco Central usado para evitar o aumento dos valores no mercado. Nesse sentido, a taxa de juros básica pode ser definida como um sistema de metas que analisa a inflação. Logo, quando a inflação sobe o Banco Central aumenta a taxa para equilibrar. 

Desse moro, quando as projeções para a inflação estão alinhadas com as metas, o que não ocorre por muito tempo. Pois, o mercado financeiro está repleto de momento bons e momentos ruins. Sendo assim quando esse fato ocorre o BCB reduz a taxa. Nesse contexto, para esse ano a meta central da inflação seria de 3,75% segundo o sistema vigente. 

No entanto, visto que o ano de 2021 esteve repleto de acontecimentos inesperados a meta ficou entre 2,25 pontos percentuais e 5,25 pontos. Sendo assim, restando apenas alguns dias para o final desse ano os economistas já começam a fazer as projeções para 2022. Então, para o ano que vem a meta da inflação deverá ficar em torno de 3,50%. Podendo oscilar entre 2 pontos até 5 pontos percentuais.  

Prévia da inflação 

Nesse cenário, o ano de 2022 segue tendo expectativas semelhantes a 2021. Quando boa parte dos economistas estavam otimistas. Ainda nesse sentido, no mês de novembro desse ano o IPCA considerou a inflação oficial do Brasil que ficou em torno de 1,17%. Sendo essa a maior taxa desde 2002, segundo os analistas do mercado. Portanto, durante os doze meses de 2021 a inflação atingiu o patamar de pelo menos dois dígitos.  

Vale ressaltar que, esse aumento da inflação foi uma das consequências da disparada dos combustíveis na metade do ano. Assim como, os reajustes da energia e da carne que disparou durante os meses do ano. Então, esses foram os principais itens que contribuíram com o aumento da inflação no país.  

Sendo assim, segundo as projeções dos economistas estimam que a inflação poderá somar 10,18% durante os primeiros meses de 2022. Sendo essa porcentagem o dobro da meta central – que é de 7,5%. Portanto, bem acima das metas estipuladas para esse ano. No entanto, depois do primeiro trimestre de 2022 a inflação poderá voltar a 5,02% mais baixo. Porém, acima do teto do sistema de metas, logo, esse feito se prolonga por dois anos seguidos.  

Volatilidade de juros segundo Copom 

Volatilidade de juros segundo Copom
Fonte: Google

Sendo assim, com base na Volatilidade de juros segundo Copom devemos esperar um ano semelhante aos meses que se seguiram por 2021. Contudo, com algumas diferenças, desse modo, podemos ser mais otimistas em relação a economia do país. Assim como, devemos manter otimismo ao investir no mercado. Afinal, 2021 apesar de ter sido bem difícil para a economia foi um ano importante para muitas empresas nacionais, tendo em vista que algumas passaram a compor a lista de bolsas internacionais.  

Porém, como mencionei os analistas observaram que o período prolongado de ações usadas para combater os graves efeitos deixados pela pandemia da covid-19. Acabou trazendo alguns riscos para algumas contas públicas mais importantes.  

Sendo assim, segundo o comitê deverá haver um novo reajuste na próxima reunião que está marcada para o mês de fevereiro de 2022. No entanto, devemos ficar atentos, mas não precisamos deixar de investir, por exemplo. Como muitos investidores em 2020, período mais crítico da pandemia.  

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.