Energia elétrica mais cara; saiba como evitar gastos!

Com a energia elétrica mais cara por conta da crise hídrica, veja como e onde economizar evitando gastos excessivos. Saiba mais aqui!
Anúncios


Energia elétrica mais cara
Fonte: Google

Voltamos a tarifa vermelha na conta de luz, mas o que não pode ficar no vermelho é o seu orçamento no final do mês. Assim, o Brasil está passando por mais uma crise hídrica, talvez a maior de todos os tempos. Logo, com a energia elétrica mais cara, o sistema de bandeiras tarifárias foi desenvolvido pela Aneel para sinalizar o custo real da energia gerada. Por isso, de acordo com a agência, as cores verde, amarelo e vermelho serve para indicar ao consumidor se a energia custará mais ou menos cara.  

Sendo assim, possibilitando que o consumidor tome algumas atitudes para economizar ou até mesmo fazer o uso mais consciente da energia elétrica. Desse modo, esse aumento de custo na conta de luz causado pela bandeira tarifária, é uma forma de incentivar a economia em situações de baixa geração de energia. É o caso da crise hídrica. Portanto, significa dizer que os principais reservatórios do país estão com níveis abaixo de sua capacidade. Desse modo, o uso de usinas termoelétricas tem se tornado cada vez mais frequente, trazendo um aumento no custo na produção de energia. 

Mas, vamos voltar um pouco no passado e lembrar da crise elétrica de 2001, quando o Brasil ficou no escuro com os apagões. Por isso, um dos principais problemas daquela época foi o planejamento e investimento no setor energético brasileiro. E isso no mesmo período o governo decidiu investir em uma rede de usinas termoelétricas, que eram movidas a gás. Ainda, o carvão e óleo combustível, uma forma de fugir da crise hídrica. Logo, segundo o governo essa nova rede serviria como escape no momento de seca, eles só esqueceram que essa forma de gerar energia elétrica é mais cara e nada sustentável. 

Contudo, em 2015, entrou em vigor o uso das bandeiras tarifárias, um sistema desenvolvido pela Agência Nacional de Energia (ANEEL). Desse modo, as bandeiras tarifárias servem para informar o consumidor quando a energia estará mais cara ou mais barata, sinalizando o custo dessa energia. Assim, a energia elétrica mais cara é justamente nos períodos de seca, quando à necessidade de usar as usinas termoelétricas.

Sobre à Aneel – Agência Nacional de

A Agência Nacional de Energia (ANEEL), iniciou suas atividades em 1997, autarquia vinculado ao Ministério de Minas e Energia, existe para regular o setor elétrico brasileiro. Logo, a Agência é responsável por regular a produção, transmissão, distribuição, comercialização da energia elétrica em todo território brasileiro. 

Por isso, é de sua competência e responsabilidade, fiscalizar os convênios com os órgãos estaduais, as concessões, permissões e os serviços de energia elétrica.  Desse modo, ela atua diretamente com o governo federal implementando políticas e diretrizes ligada à exploração da energia elétrica. Além disso, fiscaliza e conduz o aproveitamento dos potenciais hidráulicos no território brasileiro. Por isso, a fiscalização tem como objetivo assegurar o bom funcionamento do sistema. Assim, evitando comprometimento do serviço e a qualidade de energia elétrica entregue ao consumidor. 

Portanto, é de responsabilidade da Agência Nacional de Energia, delegar metas para o bom funcionamento dos serviços prestados ao consumidor. Assim, cria limites para empresas, grupos empresariais e acionistas, com vistas a proporcionar concorrência entre os agentes e a impedir a concentração econômica nos serviços e atividades de energia elétrica.

Saiba quanto vai custar no seu bolso a energia elétrica mais cara  

Segundo a Aneel, só de janeira a abril deste ano, já foram gastos em média R$ 4,3 bilhões na produção de energia elétrica. Só no primeiro trimestre desse ano a energia elétrica ficou mais cara 7%, a agência estima que em 2022, a conta de energia ficará 5% mais cara e não descarta a possibilidade de reajuste para todo ano. Devido à falta de chuva que estão passando as regiões do Sudeste e Centro Oeste, localizado os principais reservatórios do país. 

Atualmente estamos na bandeira vermelha tem patamar 2. Assim, essa bandeira é a mais cara, e pesa no valor da conta de luz. Por isso, para você entender melhor; a cada 100 kwh será acrescido a mais em sua conta de R$ 6,24. Portanto, o aumento esperado em junho é em média 5,6% em relação ao mês de maio. Logo, com a energia elétrica mais cara o chefe de família vai precisar tomar algumas medidas para não ter surpresas com a conta de luz. 

O consumidor pode tomar algumas medidas em casa e evitar o uso desnecessário da energia elétrica. O primeiro passo é reduzir ao máximo e dentro do possível, o uso de aparelhos domésticos que mais consumem energia, os famosos vilões da conta de luz. 

Como economizar energia elétrica na crise  

Energia elétrica mais cara
Fonte: Google

Essa tarefa não é impossível quando tomamos algumas atitudes no início ao adquirir um novo eletrodoméstico para casa. Com a energia elétrica mais cara é bom o consumidor ficar atento na hora de comprar um novo eletrodoméstico, por se tratar de um bem durável, antes de olhar marca e modelo de preferência é necessário olhar o consumo de energia do produto. Dessa forma, observe o índice de consumo que o aparelho tem, e sempre escolha o da classificação A, esses aparelhos são os mais eficientes relacionados ao consumo. 

As cores dos ambientes interno da casa também contribui para o consumo, na hora de decorar uma boa escolha são cores claras, vai ajudar a refletir melhor a luminosidade no ambiente. As lâmpadas precisam ser LED, 20% do consumo de energia em uma residência está relacionado ao uso de lâmpadas, as lâmpadas de LED economizam 80% a mais que lâmpadas comuns.  

Concluindo

O chuveiro elétrico é um dos eletrodomésticos que mais pesa na conta de energia, uma forma de economizar é reduzindo o tempo de uso, e deixar a temperatura no modo verão. Sempre que for usar a máquina de lavar, junte todas as roupas sujas e lave-as de uma só vez, isso também vale para o ferro de passar roupas. Assim, os aparelhos que não estão sendo usados e ficam em Standby (modo de espera) você deve desconectar diretamente da tomada. Por fim, adotando algumas práticas como essas citadas nesse artigo, você não vai sentir muito o impacto causado pela energia elétrica mais cara.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *