10%15%20%25%30%35%40%45%50%55%60%65%70%75%80%85%90%95%100%

INSS para autônomo: saiba como ser um contribuinte individual. 

Quando um profissional presta serviço na condição autônoma, não tem acesso a direitos trabalhistas. Veja como contribuir com o INSS para autônomo! 

INSS para autônomo
Fonte: Google

De acordo com o último levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 24 milhões de pessoas no país são trabalhadores autônomos. Assim, com a crise econômica onde mulheres de postos de emprego com carteira assinada foram fechados esse número tende a aumentar.

Contudo, se você ficou desempregado (a) e acabou de entrar nesse mercado autônomo precisa saber como ter acesso aos benefícios do INSS para autônomo. Por isso, preparamos esse artigo para esclarecer todas as suas dúvidas sobre o assunto.

Portanto, não deixe de ler todo nosso conteúdo e fique por dentro de tudo. Vamos lá!  Assim, o trabalhador autônomo é um profissional prestador de serviços, e nesse caso não possui nem um vínculo empregatício com a empresa a qual está prestando o serviço.  

Da mesma forma, eles exercem suas atividades remuneradas sem seguir as normas específicas das empresas. Por outro lado, do mesmo jeito que o profissional autônomo possui autonomia econômica e profissional.

Porém, a respeito da aposentadoria é natural ter preocupação para planejar o futuro. Assim, as possibilidades do INSS para autônomo geram muitas questões.

Veja a seguir como ser um contribuinte individual.  

Como funciona o INSS para autônomo? 

Inicialmente é preciso saber que o profissional autônomo também pode ter acesso aos direitos trabalhistas, você sabia disso? Para isso, existe o INSS para autônomo, dessa forma, sua contribuição será feita de modo individual. Contudo, isso irá garantir ao profissional os benefícios em situações que não consigo mais trabalhar.  

Veja a seguir quais benefícios estão inclusos para o contribuinte individual:  

  • Aposentadoria por tempo de contribuição. 
  • Reabilitação profissional. 
  • Aposentadoria por idade e invalidez. 
  • Salário maternidade. 
  • Auxílio acidente. 
  • Auxílio doença. 
  • Salário família. 
  • Auxílio reclusão. 
  • Pensão por morte. 

Então, como podemos ver, o INSS para autônomo não tem apenas uma função. Contudo, a vantagem do contribuinte individual é que o trabalhador autônomo recebe um valor em dinheiro por mês se ficar inapto ao trabalho.

Portanto, ao contribuir com o INSS para autônomo, os benefícios se estendem além de casos de aposentadoria, invalidez ou maternidade. Assim, o profissional autônomo pode receber um auxílio-acidente, por exemplo, se precisar se ausentar do trabalho por motivo de acidente. 

Como fazer a contribuição individual? 

Para ser um contribuinte individual e ter acesso ao INSS para autônomo, o trabalhador autônomo precisa ter inscrição no Programa de Integração Social (PIS). Feito isso, agora é preciso escolher o tipo de contribuição, nesse caso, a duas opções e distinções que fica a escolha de cada trabalhador, por conta do valor e benefícios. 

Veja a seguir quais são as diferenças entre eles:  

  • Código 1163: também conhecido como o plano simplificado, e com apenas 11% de um salário mínimo o contribuinte recebe a quantia de um salário mínimo na aposentadoria.  
  • Código 1007: nesse caso, chamamos de plano normal, e poder ser até 20% do salário mínimo ou do teto da previdência. Logo, pode variar de acordo com a renda do contribuinte e pode ter alguns benefícios extras.  

Depois de fazer a sua escolha, basta pagar a GPS, a Guia da Previdência Social. Contudo, você pode fazer o seu preenchimento tanto pela internet ou manual.

Após isso, basta realizar o pagamento em lotéricas ou bancos, lembrando que o dia 15 do mês seguinte é o prazo para o acerto. Outra informação importante, é ter bastante atenção se optar por realizar o preenchimento manual. Assim, você evita qualquer problema posterior.  

Conclusão

INSS para autônomo
Fonte: Google

Agora que você já conhece os aspectos diferentes do INSS para autônomo, vale a pena reforçar para quem atua apenas como microempreendedor individual (MEI) essa condição muda. Sendo assim, existem diferentes formas de contribuição, mas é preciso ficar atento para fazer a escolha certa. 

Contudo, é comum que cada um conte com seus planos para o futuro, mas, não podemos esquecer que esse é o caminho certo para a aposentadoria. Assim, como uma forma de ter determinados benefícios, como auxílio-doença entre outros que já mencionamos.  

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida