Os alimentos mais caros já no início de 2021.

O ano mal começou, e as notícias de aumento dos preços estão por toda parte. Neste artigo iremos falar quais alimentos tiveram reajustes e estão com maiores preços, confira!
Anúncios


Fonte: Google

As compras de final do mês estão mais caras desde dezembro devido que os alimentos ficaram mais caros, mas novos aumentos estão previstos. E alguns estão pesando ainda mais no orçamento desde o começo deste mês, por exemplo: frutas, verduras, hortaliças, óleo de soja, carnes, batata e o famoso arroz. Destaque para a batata-inglesa que teve alta de 7,29%, nada comparado ao aumento de novembro que foi de 30%, mas é uma variação que pesa bastante no bolso do consumidor.

Enquanto o óleo de soja teve aumento de 4,99%, e frutas um aumento de 6,73%. Mas não para por aí, fazer aquele churrasco acompanhado por arroz e salada também está mais caro. Com isso, o preço do arroz teve aumento de 3,84%, carne aumentou 3,58%, enquanto verduras e hortaliças o aumento foi de 2,98%. Essas variações de preço são dados divulgados pelo IBGE no início deste mês.

O IPCA subiu 1,35% em dezembro, em novembro foi registrado aumento de 0,89%, de acordo com o IBGE. Assim, essa foi a maior variação (mensal) desde fevereiro de 2003, que foi de 1,57%, e o maior índice num mês de dezembro de 2,10% em 2002. O IPCA vem acumulando alta de 4,52%, em 2019 registrou alta de 4,31%, acima da meta que era de 4%, com tolerância de 1,5 ponto percentual acima de 5,5% ou abaixo de 2,5%, é também a maior alta acumulada desde 2016 que foi de 6,29%.

Enquanto no IPCA do ano passado, o destaque foi alimentação, que teve alta de 14,09%, assim os alimentos ficaram bem mais caros. Este foi o segmento que mais contribuiu para aumento da inflação. De acordo com IBGE, o grupo de bebidas e alimentos registrou em 2020 a maior elevação acumulada no ano, o que não acontecia desde 2002, que teve registros de 19,74%, no ano passado a taxa desses itens só desacelerou em dezembro.

Alimentos mais caros: A variação no preço do alimento – em 2021

Fonte: Google

Veja como o aumento nos preços dos alimentos deixa a população com poder de compra menor. Confira os alimentos que tiveram maior alta desde dezembro, além disso veja como foi a variação de cada item durante o ano de 2020:

                                        ALIMENTOSVARIAÇÃO DE PREÇOS % (DEZEMBRO)VARIAÇÃO DE PREÇOS % (2020)
Batata (inglesa)7,29%67,27%
Frutas6,73%24,40%
Óleo de Soja4,99%103,79%
Arroz3,84%76,01%
Carnes3,58%17,97%
Verduras e Hortaliças2,98%21,19%
Frango (inteiro)2,75%17,16%
Peixes e Carnes (industrializados)2,64%15,89%
Frango (pedaços)2,42%14,08%
Café (moído)1,95%7,70%
Fonte: IBGE

Certamente, aumento nos preços dos alimentos não era o presente de Natal que os brasileiros esperavam. Assim, os alimentos mais caro em 2021 não seria uma surpresa. Principalmente devido a maior parte da população viver em condições difíceis, em ano de crise e incertezas como foi 2020 e ao que tudo indica será 2021. Além disso, o governo deixou de pagar o auxílio emergencial para as pessoas que se enquadravam no perfil exigido, dentre esses, muitos desempregados que ainda não retornaram ao mercado de trabalho.

No entanto, a esperança de todos está na vacina que já começou ser distribuída aos estados e em breve a vida deve voltar ao “novo” normal. E mesmo com tanta polêmica sobre a eficácia da vacina, as pessoas não podem desacreditar que as coisas vão mudar após a campanha de vacinação, o que será bom não apenas para saúde das pessoas, mas também para economia brasileira.

Aumento no preço dos materiais de construção.

A princípio, engana-se quem acredita que os únicos preços que subiram foram dos alimentos. Assim, as pessoas que precisaram construir ou reformar têm sentido no bolso com aumento nos preços de alguns itens. E este cenário trouxe impactos negativos não apenas na vida dos brasileiros comuns, mas também para as grandes empresas de construção civil, seja em empreendimentos particulares ou obras públicas.

Dessa forma, para o estado de São Paulo parece que a situação é ainda pior, isso devido ao aumento anunciado do ICMS ainda em 2020. Que desse modo, passou valer este mês, e prejudicou vários setores, foi o caso da construção civil. Logo, o aumento dos materiais de construção tiveram alta por diversos motivos, e um desses foi devido à alta do dólar, pois certos itens necessitam de insumos importados para a produção.

Desse modo, tipos de medida como essa do aumento do ICMS do estado de São Paulo, tem como objetivo ajudar na compensação dos gastos adicionais com toda situação vivida de pandemia. Então, é possível que medidas parecidas sejam adotadas por outros estados.

Portanto, já que todo país teve muitos gastos com hospitais de campanha, bem como outras despesas no combate à doença. De alguma forma, o Brasil precisa compensar o aumento dos gastos e  pouca arrecadação.

Alimentos mais caros e preço dos materias de construção

É fato que a “conta” de tudo isso de alguma forma chega para você contribuinte, seja pagando mais caro nos alimentos, gastando mais, no caso de quem está construindo, ou para quem precisa comprar um imóvel, bem como para construtoras.

Enfim, todo mundo sofre um pouco. Por outro lado, o Governo tem seus critérios e justificativas para o aumento de impostos, e outras medidas que julgar necessárias, para não deixar o cenário da economia do Brasil piorar ainda mais.

Gostou do nosso artigo? Então, não deixe de compartilhar em suas redes sociais, com os seus amigos e ainda com os seus familiares. Em seguida, aproveite outros conteúdos para entender melhor sobre finanças, investimentos e conhecer serviços como, por exemplo; cartões de crédito, conta digital e empréstimo, tudo aqui em nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *