Capital de Giro: Saiba tudo aqui!

Uma dúvida comum entre empresários, é identificar qual melhor forma de conseguir capital de giro para sua empresa. Veja a importância de boas escolhas.
Anúncios


Fonte: Google

Para qualquer empresa manter as atividades operando normalmente é preciso ter dinheiro. Também conhecido como capital de giro, para que a empresa cumpra com os deveres financeiros. O sonho de todo empresário, principalmente empresas menores é ter capital disponível para o pagamento das contas como: pagamento dos funcionários, aluguel, contas de água, luz, telefone e internet entre outras e se possível ter uma reserva.

Parece simples, mas não é a realidade de muitas empresas, principalmente em tempos de crise. Por exemplo, a que o mundo está vivendo com a pandemia da COVID19. E são nesses momentos, que donos de empresas ou administradores, busca meios para conseguir capital de giro, e alguns desses pode deixar a situação do negócio ainda pior. É sobre isso que iremos falar.

Melhores meios de conseguir Capital de Giro.

O ideal seria que o capital de giro de uma empresa fosse uma reserva para utilizar para suprir as necessidades ao longo do tempo, mas se não for o caso, seguem algumas opções:

Antecipar recebíveis:

Antecipar o recebimento de pagamentos de clientes é uma forma de conseguir capital de giro. Essa antecipação pode ser feita em várias instituições financeiras que ofereça o serviço, como por exemplo as Factoring. A empresa irá receber o valor de boletos, cheques e até de vendas com cartão de crédito de forma imediata.

Mas é bom tomar cuidado, as taxas de juros de antecipações têm muitas variações podendo ser de 2 a 12% a.m. Além de buscar por melhores taxas, em bancos, Factoring e FDICs, é importante tomar cuidado para que essa prática não se torne hábito da empresa.

A solução que poderia ajudar a empresa a sair de um momento difícil, pode afundar ela ainda mais. Portanto, faça acompanhamento do fluxo de caixa, confira se o valor que está sendo antecipado não fará falta no futuro, enfim, analise bem antes de tomar essa decisão.

Capital de Giro: Empréstimo bancário

Essa talvez seja a opção mais utilizada pelas empresas de diversos setores na busca por capital de giro. Antes de mais nada, o diretor financeiro precisa fazer um planejamento detalhado, fazer todos os levantamentos antes de realizar o empréstimo.

A princípio, é importante saber qual valor de parcela não irá comprometer o orçamento da empresa. Além disso, analisar as taxas de juros, multas e custo efetivo deste empréstimo.

Fonte: Google

Conta garantida

Essa é outra opção também muito usada por algumas empresas. A conta garantida é parecida com cheque especial, porém com a vantagem de ter taxas melhores.

Podemos dizer que é um “empréstimo rotativo”, ou seja, a empresa terá o dinheiro na conta, conforme o limite contratado. Contudo, o banco recebe uma garantia, que pode ser cheque, hipoteca e outros, e por isso o cliente consegue um “desconto” nas taxas.

Dinheiro dos sócios

Se a empresa está precisando de capital de giro, e as outras opções parecem não tão vantajosas, a sugestão é usar as economias dos sócios.

Isso depende de cada empresa, do número de sócios, da situação em geral. Mas o interesse da empresa continuar operando é principalmente dos donos, não é verdade? Neste caso vai ser de acordo, e os sócios farão aporte financeiro para a empresa, irá injetar capital do próprio bolso para que a empresa continue funcionando.

Embora muitas pessoas acreditem que essa prática só aconteça no começo do negócio, se houver necessidade para passar em certos momentos de crise. Piores meios de conseguir Capital de Giro. Foram mostradas algumas maneiras de conseguir Capital de Giro. No entanto, muitos donos de empresas, principalmente empresas menores, tomam decisões precipitadas. Sendo assim, vamos dar três formas que são as piores na tentativa de salvar um negócio.

Cheque especial:

Este dinheiro “sobrando” na conta faz com que muitas pessoas e empresas usem de maneira indevida e como consequência acabam se endividando. Cheque especial é um tipo de “empréstimo” é um crédito que fica disponível na conta da empresa, a finalidade é para utilizar em situação de alguma emergência, isso por um curto período.

O uso do cheque especial até parece uma solução para muitos problemas, no entanto a taxa de juros é uma das maiores do mercado. Com algumas mudanças, os juros que era em torno de 12% a.m, agora passou para 8% a.m.

Capital de Giro: Cartão de crédito

Este é outro que pode ser considerado um vilão se não souber usá-lo. Embora esse dinheiro de plástico acaba salvando na compra de material, pagamento de fornecedores e muito mais. Mas a empresa precisa ter controle do uso do cartão de crédito, como qualquer pessoa física. O uso sem controle pode gerar faturas altas e no final do mês pode ser preciso usar o rotativo do cartão ou fazer um parcelamento.

Pagar o mínimo da fatura é bem parecido com uso do cheque especial, os juros são muito altos e pode se tornar uma enorme bola de neve para a empresa.

Conclusão

Bom seria ter uma empresa com a saúde financeira boa, que conseguisse ter bons desempenhos, em todas as áreas, em captação de recursos, na produção, no fluxo de caixa e outros. Mas ter empresa no Brasil nem sempre é tão fácil. Principalmente os pequenos negócios, mas vale sempre lembrar a importância do bom planejamento financeiro, controle dos gastos, pagamento das contas em dia, negociar com fornecedores e muito mais.

Gostou do artigo? Compartilha com seus amigos, em suas redes sociais e ainda com os seus familiares. Não esqueça de ler outros artigos sobre o assunto aqui no blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *