Investir em fundos de alocação: o primeiro passo para investir

Neste artigo, como funcionam os fundos de Alocação e como eles atendem às necessidades diferentes dos Investidores. Fique por dentro!
Anúncios


Investir em fundos de alocação
Fonte: Google

Atualmente os Fundos de alocação e também o número de acionistas que investem nesses fundos cresceu consideravelmente e alguns deles ficam encantados com a possibilidade de obter ganhos rápidos e altos no setor financeiro, assim, muitas pessoas que começam a investir. Contudo, não costumam tomar os cuidados necessários, com os Fundos de Alocação. Segundo economistas em todas as ondas de aumento das aplicações, este tipo de situação ocorre.

Portanto, antes de começar a investir você precisa entender como funciona o mercado financeiro e de ações, o capital das empresas milhares ou até milhões de partes, representadas por ações. Cada uma dessas ações pertence aos empresários ou empreendedores e outra parte dessas ações pertence aos demais sócios da empresa, apenas em alguns casos, uma parte dessas ações é negociada nas bolsas de valores, na qual os interessados podem vendê-las ou comprá-las.

Ao adquirir os Fundos de Alocação de uma empresa aberta, Investidores em geral têm como finalidade compartilhar os ganhos, isto acontece na prática de duas maneiras, as companhias distribuem dividendos, que representam uma parte dos resultados, sendo pagos aos mesmos proporcionalmente ao número de ações que cada um deles possui, outra maneira é valorizando as ações, as cotações variam de tempos em tempos.

Os Fundos de Alocação, como são chamados os produtos que trazem em um único produto um balanço entre as aplicações de renda variável e fixa tanto dentro do país como no exterior, uma verdadeira facilidade para os acionistas que não costumam estudar sobre as suas aplicações. Todavia, antes de decidir sobre qual o produto investir é importante, saber qual o nível de tolerância relacionado ao risco de cada investimento. Leia mais abaixo!

Perfil de cada Investidor

Basicamente, existem três tipos de Investidores, o primeiro que vamos analisar é o investidor conservador, aquele que toma muito cuidado com o risco e com Fundos Alocações também, ou seja, ele prefere fazer o investimento em produtos que representem baixo risco ou risco nenhum. Costumamos dizer que o investidor conservador procura receber ganhos reais obtendo o menor risco, mesmo que tenha que abrir mão da rentabilidade em alguns casos.

Em algumas empresas como por exemplo, XP, que trabalha com seis perfis diferentes e também, BTG com três perfis entre outras empresas. Contudo, o investidor moderado, corre riscos médios nas suas aplicações, ou seja, ele está preparado para assumir riscos maiores para ter uma maior rentabilidade, porém, ao mesmo tempo não abre mão de ter uma segurança mínima que seja, sendo assim, ele investe em renda fixa e também em outras opções mais arriscadas como por exemplo fundos de médio risco e ações inclusive.

E por fim, os mais agressivos, que estão sempre dispostos a correr riscos para obter mais rentabilidade, podendo perder parte do seu patrimônio devido a isso, nos Fundos de Alocação ou carteira de investimentos, boa parte das aplicações deste investidor se encontram produtos de renda variável, ações, opções, fundos de ações dentre outros, uma das características mais importantes nestes Investidores é a inteligência emocional para lidar com perdas financeiras.

O que são diversificação de Ativos e Fundos de Alocação?

Investir em fundos de alocação
Fonte: Google

Fundos de Alocação, trata-se de uma estratégia e investimento que busca facilitar a relação entre o retorno e o risco, por meio da divisão dos recursos a serem investidos com relação a volatilidade e prazo das aplicações, ou melhor dizendo um ajuste de quanto o investidor deve aplicar em cada ativo, conforme a sua tolerância às flutuações do setor, assim como as metas por período. 

Em um estudo feito por economistas, entre os 100 fundos de investimento mais rentáveis dos últimos dez anos no Estados Unidos, revelou que, o que mais importa no sucesso a longo prazo de uma carteira de aplicações ou Fundos de Alocação, não é ser bom na escolha dos Ativos, nem acertar no momento da aplicação, segundo o estudo 90% do sucesso do retorno da carteira de aplicações a longo prazo é concedida para as aplicações e nos Fundos de Alocação de Ativos.

Desse modo, a diversificação de Ativos é nove vezes mais importante do que o momento no qual você adquiriu um Ativo. Portanto, ao investir análise a quantidade ao invés de quanto dividirá a sua carteira em uma série de aplicações de alto risco e acabar perdendo o seu patrimônio, pois a diminuição de risco é principal vantagem entre os Fundos de Alocação, boa parte dos Investidores se iludem ao tentar apenas o retorno de um ativo, contudo, esquecem que os retornos estão ligados a riscos maiores. 

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos, familiares e em suas redes sociais. Em seguida, retorne ao nosso blog e aproveite nosso conteúdo sobre o universo das finanças e investimentos. Esperamos por você! Memivi; melhorando a sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *