Qual o impacto do Coronavírus na bolsa de valores?

Com a chegada da Covid-19 os brasileiros sentiram seus reflexões não apenas na área da saúde, assim, entenda como a pandemia afetou a Bolsa de Valores.
Anúncios


Fonte: Google

Antes de tudo, a Bolsa de Valores está sendo bastante afetada por conta do avanço do novo Coronavírus no mundo. Portanto, os investidores estão bastante preocupados com o impacto da doença na economia global.

Consequentemente, as bolsas de valores estão constantemente no radar de vários veículos, já que são afetadas pelas repercussões, e além disso, enfrentam oscilações ainda maiores do que o comum no mercado de renda variável.

Que saber mais sobre os impactos do Coronavírus na Bolsa de Valores? Acompanhe a leitura até o final e confira.

Bolsa de valores: novo Coronavírus deixa os investidores preocupados

Chineses caminhando na rua de máscaras, e por cima imagens da Bolsa de Valores.
Bolsa de valores sofre impacto por conta do novo Coronavírus

O FMI (Fundo Monetário Internacional), por exemplo, afirmou que a pandemia de Covid-19 já está levando a economia mundial à uma recessão. Por isso, os impactos da nova doença têm um choque bem maior do que crise financeira que aconteceu em 2008.

A China, é a segunda maior economia do mundo. A saber, o país já enfrenta um grande abalo por causa do Coronavírus, e além disso, já fechou vários centros comerciais e fábricas.

Ou seja, essas alterações vêm mexendo com a Bolsa de Valores não só para os chineses, mas por exemplo, em outros países que mantém relações comerciais com os chinenes.

Bolsa de Valores: Como ficam os investimentos?

Os investimentos muitas vezes são geridos por especulações no mercado, ou seja, qualquer informação pode influenciar os papéis tanto para cima quanto para baixo.

O mercado de capitais é o principal tipo de investimento afetado em casos como a propagação do coronavírus, já que a grande maioria das empresas negociadas nas bolsas de valores bate de frente com as decisões dos governos para conter um possível contágio ainda maior da doença.

Um bom exemplo disso são as viagens aéreas canceladas. Companhias como a Gol e a Azul, listadas na Bolsa de Valores de São Paulo, já caíram mais de 80% no acumulado do mês, uma vez que a procura pelos serviços aéreos tem sido bem menor.

Isso significa que existe um efeito cascata, ou seja, a cadeia de eventos estão interligados.

Por conta disso, a OCDE reduziu a projeção de crescimento da economia global para 2020, passando de 2,9% para 2,4%, o menor nível de expansão desde 2009.

PIB Brasileiro

A princípio, as repercussões sobre os impactos do coronavírus também têm pesado nas projeções do crescimento da economia brasileira. No último relatório Focus do Banco Central, divulgado no dia 13 de abril, os economistas consultados acreditam que o Produto Interno Bruto (PIB) terá uma retração de 1,96%

Confira as variações na Bolsa de Valores durante a pandemia

As variações das principais Bolsas de Valores do mundo foram analisadas a partir do meio do mês de janeiro, quando a doença começou a chamar a atenção do mundo todo, no dia 20 de março.

Confira abaixo as variações:

  • Milão: FTSE MIB apresentou uma queda de 37,31% (-9.716 pontos);
  • Londres: FTSE 100 apresentou uma queda de 32,38% (-2.594 pontos);
  • Frankfurt: DAX-30 apresentou uma queda de 35,01% (-5.384 pontos);
  • Paris: CAC 40 apresentou uma queda de 35,70% (-2.308 pontos);
  • Japão: Nikkei 225 apresentou uma queda de 28,91% (-7.479 pontos);
  • Shangai: SSE Composite Index apresentou uma queda de 10,47% (-393 pontos);
  • Nova Iorque: Nasdaq apresentou uma queda de 25,55% (-2.238 pontos);
  • São Paulo, Ibovespa apresentou uma queda de 56,30% (-52.458 pontos).

Investimentos na Bolsa de Valores no momento de crise

1 – Tenha uma estratégia clara na hora de investir

Uma das principais lições que a crise nos mostra é sobre a importância de ter uma estratégia sólida de investimentos.

A empolgação com um bom momento do mercado pode levar pessoas a acreditarem que a saída é investir em ações.

2 – Diversifique seus investimentos

Outro ponto igualmente importante: a diversificação dos seus investimentos. Em um momento como esse, ter seu dinheiro aplicado em ativos que não sofram o impacto do surto é um diferencial.

Sim, a renda fixa é um bom exemplo de investimento que não sofre impacto direto da epidemia.

Apesar de o retorno ser mais baixo que o da bolsa, ela é quem cumpre o papel de preservar o patrimônio de uma carteira bem diversificada.

3 – Evite decisões na hora do desespero

Muitas pessoas tomam a atitude exatamente inversa quando se deparam com a bolsa em queda: elas vendem em vez de comprar.

O mesmo vale para o cenário oposto: quando elas veem a bolsa em alta, têm mais vontade de comprar.

No entanto, agora que você sabe que o mercado tem dias bons e ruins, faz sentido comprar quando a bolsa sobe e vender quando a bolsa cai?

Essa é uma das principais lições que pessoas bem-sucedidas nos investimentos já conhecem.

As boas estratégias de investimento não estão restritas aos tubarões do mercado. Com a tecnologia, hoje em dia qualquer pessoa pode investir como um milionário.

O que achou do artigo?

Esperamos ter esclarecido um pouco sobre os impactos do Coronavírus na Bolsa de Valores. Mas caso tenha ficado com alguma dúvida, deixe nos comentários que a gente responde.

Além disso, compartilhe a informação com seus amigos em suas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *